sexta-feira, 24 de julho de 2009

Sobre o amor, rosas e espinho

SÁBADO, 20 DE JUNHO DE 2009

Amor que é amor dura a vida inteira. Se não durou é porque nunca foi amor.
O amor resiste à distância, ao silêncio das separações e até às traições. Sem perdão não há amor. Diga-me quem você mais perdoou na vida, e eu então saberei dizer quem você mais amou.
O amor é equação onde prevalece a multiplicação do perdão. Você o percebe no momento em que o outro fez tudo errado, e mesmo assim você olha nos olhos dele e diz: "Mesmo fazendo tudo errado eu não sei viver sem você. Eu não posso ser nem a metade do que sou se você não estiver por perto."
O amor nos possibilita enxergar lugares do nosso coração que sozinhos jamais poderíamos enxergar.
O poeta soube traduzir bem quando disse: "Se eu não te amasse tanto assim, talvez perdesse os sonhos dentro de mim e vivesse na escuridão. Se eu não te amasse tanto assim talvez não visse flores por onde eu vi, dentro do meu coração!"
Bonito isso. Enxergar sonhos que antes eu não saberia ver sozinho. Enxergar só porque o outro me emprestou os olhos , socorreu-me em minha cegueira. Eu possuia e não sabia. O outro me apontou, me deu a chave, me entregou a senha.
Coisas que Jesus fazia o tempo todo. Apontava jardins secretos em aparentes desertos.
Na aridez do coração de Madalena, Jesus encontrou orquídeas preciosas. Fez vê-las e chamou a atenção para a necessidade de cultivá-las.
Fico pensando que evangelizar talvez seja isso: descobrir jardins em lugares que consideramos impróprios.
Os jardineiros sabem disso. Amam as flores e por isso cuidam de cada detalhe, porque sabem que não há amor fora da experiência do cuidado. A cada dia, o jardineiro perdoa as suas roseiras. Sabe identificar que a ausência de flores não significa a morte absoluta, mas o repouso do preparo. Quem não souber viver o silêncio da preparação não terá o que florir depois...
Precisamos aprender isso. Olhar para aquele que nos magoou, e descobrir que as roseiras não dão flores fora do tempo, nem tampouco fora do cultivo.
Se não há flores, talvez seja porque ainda não tenha chegado a hora de florir. Cada roseira tem seu estatuto, suas regras...
Se não há flores, talvez seja porque até então ninguém tenha dado a atenção necessária para o cultivo daquela roseira.
A vida requer cuidado. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só. Elas não sabem viver sozinhas...
Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá que saber que com ela vão inúmeros espinhos.
Mas não se preocupe. A beleza da roza vale o incômodo dos espinhos... ou não.

Pe. Fábio Mello

O peso de quem somos

DOMINGO, 24 DE MAIO DE 2009

Hoje em dia vivemos tentando encontrar um motivo para tudo, explicar pelo menos os acontecimentos ao nosso redor, mas há coisas que não conseguimos e explicar, que escapam entre nossos dedos.
Muito se fala a respeito de conhecer a si mesmo e compreender o mundo. Acredito que estamos imensamente interligados, conectados a realidade a nossa volta, e estamos a cada instante, a cada ato, a cada pensamento criando essa realidade. Temos o poder de criar e por isso somos co-criadores desse mundo. É necessário assumir essa responsabilidade.
Não percebemos a nossa influência em tudo o que nos acontece. Quando tomamos consciência do significado dos nossos atos deixamos de ser espectadores e passamos a ser autores da nossa própria história. Somos responsáveis pelo curso de nossa vida.


A.C.S.

Quantas vezes

DOMINGO, 15 DE MARÇO DE 2009

De repente bate aquela dor no peito, aquela tristeza incontrolável, e as forças já não são suficientes para segurar as lágrimas que insistem em rolar pelo rosto...
Então o céu parece desabar... como se já não houvesse mais motivo algum para ir à luta, porém existe uma ânsia de vida no mais íntimo do ser.
Então trilhamos um caminho, e vamos em busca, mesmo com o coração angustiado, mesmo com os olhos marejados...
O melhor ainda pode ser feito, basta acreditarmos!
Temos uma vida e a responsabilidade de vivê-la!
O caminho destinado a cada de um de nós é único, porém trivial; e cabe a nós fazer as escolhas impostas no decorrer dessa caminhada.

A.

Quantas vezes

“Quantas vezes pensamos em desistir... deixar de lado, o ideal e os sonhos!
Quantas vezes batemos em retirada, com o coração amargurado pela injustiça... Quantas vezes sentimos o peso da responsabilidade, sem ter com quem dividir... Quantas vezes sentimos solidão, mesmo cercados de pessoas... Quantas vezes falamos, sem sermos ouvidos... Quantas vezes lutamos por uma causa perdida... Quantas vezes voltamos para casa com a sensação de derrota... Quantas vezes aquela lágrima, teima em cair, justamente na hora que precisamos parecer fortes... Quantas vezes pedimos a Deus um pouco de força, um pouco de luz... E a resposta vem, seja lá como for, um sorriso, um olhar cúmplice, um cartãozinho, um bilhete, um gesto de amor... E a gente insiste! Insiste em prosseguir, em acreditar, em transformar, em dividir, em estar, em ser!
A gente insiste em seguir, por que tem uma missão... SER FELIZ!”


Autor desconhecido

Seguindo em frente

SEXTA-FEIRA, 13 DE FEVEREIRO DE 2009

Quem luta e espera, sempre alcança seus objetivos, mesmo que seja no fim de suas vidas... Mesmo que tenha que ir pra longe em busca de seus sonhos e ideais...
O mais difícil não é ir atrás, e sim se adaptar, recomeçar, principalmente quando você se vê sozinho, longe de tudo e de todos que você conhece.
O coração começa a apertar nos primeiros instantes dessa "vida nova", não há a quem recorrer, não há com quem falar, nem a quem amar...
Aos poucos você se dá conta, e começa a se questionar: De que vale estar realizando um sonho, se não se tem com quem dividi-lo?
Existem coisas que temos que fazer, as quais só nos trarão resultados positivos depois de algum tempo. Haverá momentos que teremos que sacrificar algumas coisas, para conseguir outras . Haverá dores, pois não há crescimento sem dor. E temos que ser fortes para ir até o fim!
Decepções?!? Fazem parte... Ao longo de nossa caminhada haverá muitas... mas isso será para nos ensinar a não esperar muito do outro, e mais de nós mesmos...
Dúvidas e incertezas?!? Até mesmo de quem somos... Mas as respostas e as certezas somente o tempo poderá nos dar.
O certo é que nessa caminhada, não podemos nos esquecer de que não estamos em uma maratona, e por isso não precisamos passar por cima de alguém para conseguir o que queremos.
O caminho é longo e estreito, ninguém disse que seria fácil, mas no final valerá a pena todo o esforço! E vamos seguindo em frente, em busca do melhor para nós.
"As sementes de hoje serão o fruto de amanhã..."


A.C.S.

Triste verdade

SEGUNDA-FEIRA, 2 DE FEVEREIRO DE 2009

O mundo de hoje nos dá fácil acesso as informações. Revistas, jornais, televisão, internet, entre outros...
Os jovens crescem saturados de informação, o lamentável é que são quantitativas e não qualitativas.
As notícias chegam de várias maneiras, e por muitas vezes distorcidas. São os famosos "boatos" os "diz que disse". E é aí que entra em ação o bom senso de cada um.
Devemos vigiar nossas palavras, nunca matar o sonho vivo de alguém com mentiras e falsas promessas.
Questione, duvide, reflita, e não se iluda! Pratique esportes, tenha uma alimentação balanceada e saudável, faça isso para ter qualidade de vida, não apenas para se exibir diante de espelhos, estes não dizem nada a respeito de você!
Adquira livros com eles você adquire conhececimento, e este não ocupa espaço e ninguém pode lhe roubar, se preocupe mais com sua formação pessoal e profissional do que com a visão distorcida de muitos.
Sempre irei criticar o padrão de beleza ditado pela mídia, os jovens de hoje se focam tanto na sua parência externa, que se esquecem de se enriquecer por dentro e buscar o que existe de mais crucial em um ser humano, o conhecimento de si, acabam se tornando belos porém incultos.


A.C.S.

E se não fosse o quase?

QUARTA-FEIRA, 5 DE DEZEMBRO DE 2008
A desilusão de um "Quase"

"Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez,é a desilusão de um “quase”.
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos,nas chances que se perdem por medo,nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto me, ás vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna;ou melhor, não me pergunto, contesto.
A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos “Bom dia”, quase que sussurrados.
A paixão queima, o amor enlouquece, e o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são.
Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz de si.
Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu!"

(Luiz Fernando Veríssimo)



Muitas vezes vivenciamos a desilusão de um "quase", e por breves momentos temos a vontade de jogar tudo pro alto!
Porém desistir não é a melhor saída se queremos chegar em algum lugar, não é cortando caminho que chegaremos ao topo de algum lugar, pelo contrário muitas vezes acabamos por nos perder no meio de atalhos desconhecidos!
O caminho para o sucesso é muito mais longo do que parece, é muito mais estreito do que se aparenta, e muito mais árduo do que previmos.
O jeito então é sonhar e fazer dos sonhos metas, é correr e nunca se cansar, é realizar e nunca desistir!
Que o quase não seja motivo para desistir do que tanto almejamos, mas sim um incentivo para que possamos a cada tentativa nos aprimorar mais, para cada oportunidade que façamos o melhor, que dediquemos o nosso melhor!
A mudança é a lei da vida, que não tenhamos medo de mudar, superar limites, quebrar barreiras e ultrapassar fronteiras!


A.C.S.

Um único ideal

QUARTA-FEIRA, 5 DE NOVEMBRO DE 2008

Às vezes nos submetemos a fazer coisas, apenas por medo de perder aqueles que amamos. Então aceitamos tudo sem questionar, fazemos coisas das quais não acreditávamos que faríamos algum dia, tudo por quê? Para satisfazer os desejos daqueles que amamos!
No entanto, será que é certo continuarmos a deixar nosso medo passar por cima de nossos valores?
As pessoas têm limites, e nós temos os nossos, e devemos respeitá-los e fazer com que nos respeitem também.
De que vale deixar de fazer as suas vontades, para satisfazer as vontades alheias?
Afinal nossa felicidade depende de nossa satisfação, ou da deles?
Acredito que de ambos!
Isso mesmo! Eu disse ambos, se vivemos em conjunto, devemos trabalhar para que nossas realizações sejam conjuntas.
Cada um é responsável pela vida que leva, ninguém carrega a responsabilidade do seu sucesso ou do seu fracasso como você. Podemos ter colaborado para o sucesso ou para o fracasso de alguém, mas nunca somos responsáveis, afinal não cabe a nós tomar decisões que não dizem respeito a nossa própria vida!
Contribuir para o crescimento de quem está ao nosso lado, é um meio de chegar a satisfação conjunta, ser feliz implica em fazer alguém feliz.
Nenhum relacionamento vai adiante, se não houver respeito, e a vontade de crescer e se realizar juntos.
Juntos quebraremos barreiras e venceremos limites!


A.C.S.

Algo quase esquecido

SÁBADO, 11 DE OUTUBRO DE 2008

As vezes não percebemos como nossas atitudes atingem a vida de outras pessoas, agimos de forma imprudente visando apenas nosso nosso prazer imediato, e não vemos quantos sonhos são enterrados por nossa culpa.
Não admitimos contradições, não admitimos falhas, erros, contratempos. Agora, alguma vez paramos pra ver quantas vezes nós falhamos? Quantas vezes erramos e não tivemos a capacidade de voltar atrás e dizer apenas um "sinto muito"?
Somos seres humanos egoístas, porque pensamos apenas no bem próprio, e não no bem coletivo.
O que será da humanidade? Para onde iremos? Se tudo o que nos importa é ter e ser, e nos esquecemos de nos doarmos.
Queremos ser amados, queremos ter amor, mas não damos amor! Queremos ter sucesso, queremos ser alguém de sucesso, mas não damos o nosso melhor para que isso aconteça. Queremos que tenham paciência conosco, queremos ser paciêntes, mas alguma vez soubemos escutar, para que pudessem nos escutar?
Na essência da vida o importante, não é o que se tem, nem a quantidade que se tem, não é ser, ou deixar de ser, o que realmente importa é a capacidade que se tem de compreender que sempre há dois lados em qualquer situção, o seu lado e o lado do outro.
Você pode acreditar que não, mas nossos atos podem interfirir na vida de muitas pessoas.
"Um pequeno bater de asas de uma borboleta, pode causar um furacão do outro lado do mundo!!"


A.C.S.

Recomeçar

QUARTA-FEIRA, 17 DE SETEMBRO DE 2008

Certas vezes precisamos recomeçar do zero. Mas recomeçar do zero, não quer dizer voltar atrás e refazer tudo de novo, afinal, é impossível voltar no tempo... Esse recomeçar implica deixar pra trás certos hábitos, certas pessoas, e até mesmo a maneira que costumávamos levar a vida.
Não é fácil mudar, mas mudanças geram crescimento, experiências, amadurecimento. Não é necessário mudar quem você é! Mas é necessário aperfeiçoar-se!
Aventurar-se nas avenidas desconhecidas do seu ser, ser um eterno caminhante nos caminhos da existência...
Não perca tempo, fazendo coisas para satisfazer os outros, sua felicidade depende de sua satisfação e nosso tempo é curto e precioso demais para ser desperdiçado.
Para se recompor de uma queda, é preciso aceitar que derrotas virão saber compreender que a vida não é tecida apenas de conquistas, e sempre lembre-se que podem violar seu corpo, mas nunca violar sua mente e suas emoções, ao menos que você permita isso...


A.C.S.

"O pior cárcere não é o que aprisiona o corpo, mas o que asfixia a mente e algema o coração. Ser livre, é não ser servo das culpas do passado, nem escravo das preocupações do amanhã. Ser livre é ter um caso de amor com a propria vida." (Augusto Cury)

Súbita Compreensão

DOMINGO, 24 DE AGOSTO DE 2008

Se soubéssemos decifrar todos os enigmas do universo e da vida, nada mais faria sentido para nós, pois a cada dia estamos em busca de respostas, muitas vezes para perguntas impossíveis de responder em vida.
Talvez seja isso que de fato nos impulsione a continuar vivendo... Ir em busca de nossa verdadeira identidade, que é muito mais do que aqueles simples números contidos em nosso RG, mas a essência de nossa existência!
A vida, é curta e frágil... por mais que pensemos que ainda há muito tempo, e que temos a vida inteira pela frente, não estamos certos de que o amanhã irá existir, basta estarmos vivos para correr o risco de fechar as cortinas do palco da vida.
Não podemos deixar para depois aqueles gestos de carinho. Quando amamos todos os gestos que fazemos, não o fazemos visando retribuição, não fazemos esperando algo em troca, mas o fazemos apenas por fazer, apenas para aliviar um coração carregado de um amor que não nos pertence!
A distância algumas vezes une ainda mais duas pessoas, enquanto separa outras. As pessoas que se encontram longe de mim fisicamente, nesses dias me parecem mais próximas do que nunca, enquanto as próximas se encontram distantes, ausentes...
É... o jeito é recorrer a outras pessoas que mesmo que não sejam tão íntimas, elas se encontram de corpo presente, e talvez em breve, possam se tornar mais próximas, e não se negarem a nos fazer um pouco de companhia...


A.C.S.

O que é da vida sem um sonho?

DOMINGO, 27 DE JULHO DE 2008

Hoje descobri como somos frágeis, nessa nossa busca pela felicidade! Lutamos para realizar nossos sonhos. No caminho encontramos inúmeras barreiras, o desânio toma conta de nós, tudo o que parecia tão simples, tão próximo, parece impossível! O que fazer? Desistir éa primeira coisa que nos vêm a cabeça. Mas a vida perde seu sentido se não haver mais pelo que lutar?
Dificuldades, sempre haverá! O mais difícil é aprender a esperar. Esperar pelo dia que poderemos desfrutar dos nossos sonhos realizados, esperar pelo dia que estaremos aptos a concretizar nossos projetos e planos e esperar pelo reconhecimento, embora esse último nem sempre venha.
Todos treazem ideais, metas e sonhos dentro de si, aquele que detém seu pensamento nas dificuldades já perdeu uma parte da batalha. Não deixe seus sonhos engavetados por muito tempo.
A derrota poderá nos visitar, já que esta faz parte do caminho daquele que busca. Derrota não significa fracasso, este vêm pela desistência, pela falência dos ideais.
Para muitos viver significa apenas desfrutar do prazer. Para outros viver proporciona a busca do poder, a fim de possuir e exercer domínio sobre outras vidas. E ainda para poucos viver significa algo muito mais além, ser pessoas, humanos acima de tudo.
A vida sem objetivos, sem ideiais, sem sonhos fica à mercê dos ventos e das tempestades, apenas aguardando o momento de seu naufrágio.


A.C.S.

A mágica do amor

QUARTA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2008

Já não encontro palavras para descrever o que estou sentindo nesse momento...
A magnetude desse sentimento despertado pela luz do seu olhar...
Pela primeira vez as palavras não saem, toda tentativa de mostrar, de falar sobre o que esta em meu coração é inútil, existem coisas que não se pode descrever em palavras, podem apenas ser sentidas, e eu sinto!
O mais importante que dizer frases prontas, é interpretar o silêncio de um olhar...
Quando pensei que todos os meus sonhos estavam enterrados, descobri a magia dos seus olhos quando eles se cruzaram com os meus.
Hoje acordei pensando em você, e vi o céu mais radiante, você me faz feliz, mesmo não estando continuamente aqui, mas o que importa é que mesmo distantes estamos juntos!
Quero unir-me a você, quero descobrir a magia desse sentimento ao seu lado... Sinto que nosso destino não é ao acaso... desde que nossos olhos se encontraram e se comunicaram em silêncio enxerguei um mundo novo.


A.C.S.

Declínio Imediato

QUARTA-FEIRA, 4 DE JUNHO DE 2008

Nos empenhamos tanto para chegar em determinado lugar. O caminho? Não é fácil, é árduo, requer esforço e dedicação. Muitas vezes a tragetória parece ser bonita, respeitável e até admirável... E ao chegar a um certo tipo de status do qual desejávamos e que outros desejam, somos infelizes pelos comentários e em determinadas circunstâncias, e acabamos cometendo um deslize quase que imperdoável, um erro que nos marcará pelo resto desse caminho que esperávamos ser de sucesso. Conhecemos a ganância, querer muito mais além do que já possímos. Ganância é bom para nos superarmos, mas em pequena escala para que não nos acomodemos.
Tudo que é demais sobra, e ganância demais cega! Esquecemos de nossas raízes, do lugar de onde viemos, e o mais importante que todos nós seres humanos temos valores, independente de que cargos exercemos.
Status social e extrato bancário não dizem nada sobre quem somos, muitos procuram beleza para chamarem atenção, outros inteligência para serem admirados, mas há ainda aqueles que procuram cultivar a alma e os sentimentos, e esses conseguem a admiração plena de todos, porque além de se tornarem belos e inteligêntes, tornam-se realmente pessoas...
Esperamos obter novos resultados, mas isso se torna impossível, a medida que prosseguimos com os mesmos atos, assim como já dizia o provérbio chinês "Insanidade é fazer sempre a mesmas coisas e esperar resultados diferentes".
Precisamos crescer e nesse trajeto encontraremos um caminho cheio de pedras e obstáculos, e esses foram feitos para superarmos.
Muitas vezes o que nos falta para melhor administrarmos o status onde nos encontramos é preparação, estar prontos para reconhecer que o lugar onde ocupamos é privilegiado e que no fim das contas somos todos iguais, erramos e precisamos admitir nossos erros. Se estamos em um degrau acima é porque um dia estivemos um degrau abaixo, mas não estamos em nenhum pedestal e não somos superiores a ninguém.


A.C.S.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sobrevivendo por um fio

TERÇA-FEIRA, 6 DE MAIO DE 2008

Em um ato de desespero pensamos e desistir de tudo, lutamos tanto por algo, lutamos tanto por alguém.Com o passar do tempo percebemos que distância, que a ausência testa nossos limites, os limites de um sentimento. Na maioria das vezes fracassamos e nos deixamos abater pela dor da saudade, ou pela morte da esperança de um reencontro.
Não há dor maior do que a da solidão, estar cercado de pessoas e querer apenas uma. Quando se espera alguém, isso toma parte da sua vida, as horas parecem não terem fim, e os dias intermináveis. As esperanças começam a se esgotar, mas vamos sobrevivendo por um fio, e no fim quando menos se espera, chega o dia do tão esperado reencontro. Finalmente juntos...
Mas o que era pra ser um final feliz, é apenas o começo de mais um tormento. Um deslize e põe-se tudo a perder o que era para ser uma linda história de amor.
Os dias se vão, e tudo parece igual, desencontros, desamores... passam meses, e por fim se passaram anos, mas ninguém cede, nem pensa em voltar atrás.
Chega a hora de renascer e esquecer tudo aquilo que foi vivido e recomeçar tudo de novo. Vamos em frenre e esse novo caminho não é muito longe daqui, logo acabaremos voltando a nossas raízes...
Um recado... um telefonema...um passeio... e em seguida um beijo que a tanto tempo estava guardado, então mais uma vez desperta um desejo adormecido.
Então o que ficou foram dúvidas, receios, e a dor... de amar. E quando acordamos podemos ver que é algo prejudicial, que não nos deixa mais viver. O que fazer? Ouvir a razão que pede para desistir, ou o coração que se atreve a lutar sabendo das consequências? O caminho é apenas um, e aquele que escolhermos não nos dará uma passagem de volta!


A.C.S.

Felicidade Realista

SÁBADO, 12 DE ABRIL DE 2008

A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas os nossos desejos são ainda mais complexos.
Não basta que estejamos sem febre: queremos ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada em um spá cinco estrelas. E quanto ao amor? Ahhh o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.
Isso que dá ver tanta televisão. Esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista, ter um parceiro constante pode ou não ser um sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, felizes com os romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com esse pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: Hora de acordar, é importante pensar-se ao extremo, buscar lá de dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites leva o prêmio.
Não sejamos vítimas ingênuas dessa tal competitividade. Se a meta está alta demais reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não saber perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude em nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.



Autor: Mário Quintana

O fruto da espera e da ilusão

TERÇA-FEIRA, 8 DE ABRIL DE 2008

Esperamos tanto por algo e quando estamos perto de alcançá-lo parece não ter a mesma importância. Talvez seja o cansaço causado pela espera.
Aprendemos a não esperar muito, e a esperar tudo. A razão discorda da emoção.
O que era certo aprendemos a sempre questionar, e a visão de certo e errado se distorce.
O que era lindo se perde, e fica ao vento um castelo de ilusões. O que sobra depois da desilusão? Dor, medo, solidão... Mas não vale a pena deixar de viver a vida com a intensidade que merece por medo de sofrer. Não há nada de errado em querer proteger o coração, mas proteger não significa prender.
Muitas vezes julgamos uma pessoa pelo erro de outra, mas ninguém merece ser condenado por algo que não cometeu. Todos nós erramos, e temos direito a uma nova chance, e temos que nos dar uma nova oportunidade para sermos felizes.
A espera muitas vezes é longa, dolorosa e em vão.
Mas se as coisas não ficaram bem é porque não acabaram ainda.


A.C.S.

A morte da pequena criança que vivia em mim

SÁBADO, 22 DE MARÇO DE 2008


Ela desejava acordar então desse sonho, ou melhor desse pesadelo que vivia, mas o tempo passava e ela logo percebeu que não estava dormindo, o que então ela poderia fazer?
Seu desejo era correr pra longe, de fugir, mas para onde mais poderia ir?
Não se pode escapar da verdade.
Mais um dia, e o tormento continuava, era um inferno sem fim, em segundos ela percebeu que tinha tudo, e nada ao mesmo tempo. A felicidade lhe parecia uma doença rara e a tristeza sua única saúde, precisava morrer para se sentir viva.
Mas será a morte a única saída?
Tudo o que ela queria era se sentir forte o bastante, necessitava ser aceita tal como era, com suas virtudes e defeitos.
Em casa onde ela poderia encontrar conforto, ela se sentia mais sozinha do que nunca, queria deixar aquele lugar, não adiantava, por mais que se esforçasse nada parecia ser o suficiente, aquele era um lar, ela estaria melhor sozinha.
Ela odiava o mundo, toda tristeza que ela guardava sem ninguém sabee, ela se escondia atrás de um sorriso no rosto, sem nem saber como sobrevivia a isso, as cicatrizes ela as escondia.
De joelhos ela sangrou em silêncio, essa vida sem esperanças ela não mais queria. Uma vida de mentiras é uma vida de negação.
Ninguém soube os motivos daquela corda em volta do seu pescoço na noite em que morreu.


É importante prestarmos atenção em quem está ao nosso lado, muitas vezes não sabemos o que se passa dentro do coração de uma pessoa. Um sorriso pode ser um disfarce da dor.



A.C.S.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Falando de amor...

SEXTA-FEIRA, 17 DE AGOSTO DE 2007
Um dos maiores erros do ser humano é querer tirar do pensamento aquilo que não saí do coração...
Mas como apagar marcas profundas, que o tempo está sendo incapaz de apagar? Como cicatrizar essas feridas que se recusam fechar?
A era dos contos de fada já passou... Um dia você descobre que beijar uma pessoa pra esquecer outra é uma grande bobagem, você só não esquece uma pessoa porque pensa muito nela. Dizem que o que os olhos não veem o coração não sente. Eu discordo, o que os olhos não veem o coração sente sim, quanto mais longe dos olhos mais perto do coração!
Você pode ficar algum tempo sem pensar em esse certo alguém, mas se de fato ainda não está totalmente "curado" ao encontrá-lo por acaso tudo reaparece, em sua cabeça passa um trailer dos momentos vividos e supostamente esquecidos.
Mas esse tão sonhado dia uma hora chega, aí você pode falar sem que seus olhos se encham de lágrimas, "o que passou, passou, e o presente só nós faz amigos".
O pior castigo por amar tanto, é a indiferença do amor não correspondido, enquanto seu único desejo é amar incondicionalmente aquele que só te faz sofrer.
E a Jornada continua com a esperança de que um dia esse amor se torne mútuo.


A.C.S.