quarta-feira, 6 de março de 2013

Do dia em que bati na sua porta






Eu tinha que vê-lo, não saberia por em palavras com aquilo soava definitivo para mim, como se o simples ato de o ver fosse apagar ou trazer a tona tudo o que tínhamos vivido, como se o ver fosse resolver todas as minhas questões acerca do não me apaixonar. Não poderia adiar mais, em meu íntimo eu sabia que para sobreviver eu precisava encontrar o amor. 
Então eu fui, sem pensar duas vezes eu fui. Sabia que estava correndo o risco de encontrar as portas fechadas, mas mesmo assim fui. Para se chegar a algum lugar precisamos correr riscos. Eu precisava me jogar nesse abismo sem fim que se colocara diante de mim. Não podia imaginar que aquilo ainda estava tão longe de acabar, era apenas o começo do fim.




A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário