segunda-feira, 16 de maio de 2011

O despertar

Obrigado pela dor...
Pois graças a ela eu me liberto para um novo amanhã!

Era como se eu tivesse despertado para um pesadelo...
Onde todos os meus sonhos ruíram, onde toda esperança de um futuro não existia mais.
E eu estava ali a mercê da própria sorte.
Não havia mais para onde correr, pois meu porto seguro não estava mais ancorado para mim.
Eu te perdi mais uma vez...
E a dor dilacerava em minhas veias!
Percorrendo cada centímetro do meu corpo, anestesiando meus sentidos, me tornando incapaz de sentir qualquer outra coisa que não fosse dor.
Onde foi que eu perdi a senso de realidade e ilusão?
Eu não estava sonhando, aquilo não foi um pesadelo.
Aquilo foi real...
E agora as palavras ecoam dentro de mim...
"Estou quase casando..."
Eu perdi mais uma vez...
Todos esses anos me alimentei de uma ilusão...
Era para ser eu e não a...
Cris...
A pronúncia desse nome foi uma estaca cravada em meu coração!
Tento buscar vestígios de que ainda não acordei, mas o que distingue a realidade e a ilusão?
O fato de estar acordado não significa total lucidez.
Pois eu acredito ainda estar sonhando...
E quando eu dispertar você estará lá para mim, para construirmos uma vida juntos...
Para podermos enfim dizer:
"Prometo te amar na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte nos separe."
Enquanto esse pesadelo não acaba, meu desejo é que sejas feliz, mesmo que não seja ao meu lado...


A.C.S.

3 comentários: