sábado, 29 de dezembro de 2012

Sede

Uma sede de você...
Só uma sede de você...
Sede que me entontece...
Sede que me entorpece...

Quero lhe beber...
Beber de seus beijos...
Beber de seu toque...
Beber simples e puramente você...

Tomar lhe cada gota vagarosamente...
Tomar lhe por inteiro...
Como água escassa em meio a um deserto...
Quero tomar lhe e me perder nesse êxtase...



A.C.S.


Em um mundo de caça e caçadores...


Vivemos em lugar que chamamos de mundo, localizado em um tempo e espaço, enquanto questões permeiam nossa existência. Quem somos? Para onde vamos? Perguntas que na maioria não encontramos uma resposta.
No entanto, talvez não haja um outro lugar para onde ir. Somos lançados no mundo e uma vez lançados não há mais como fugir... Quando aqui chegamos somos então presos e condenados a existir!
Um paradoxo... pois, uma vez que somos lançados nos tornamos livres para escolher e escrever nossa história, nada nos determina, e a nada somos determinados, exceto o existir e o morrer. Nascemos então para a morte? Tão só aqui chegamos e tão só daqui partiremos? Mas que liberdade seria essa então? No ponto onde tudo começa se inicia a iminência da morte... e a luta pela sobrevivência.
Do alto do céu surge um ponto negro, quase que imperceptível se põe a dirigir em direção ao solo, tão veloz quanto uma bala. Com suas garras a ave atinge sua presa de maneira brutal, sem lhe dar a chance de escapar, um golpe implacável. Uma cena da vida selvagem que se repete todos os dias de nossas vidas. Somos selvagens, vivendo à mercê de uma selva de pedras, em um mundo de caça e caçadores, somos a presa fugindo do golpe fatal do predador, e o predador é o próprio homem. O homem fugindo de si mesmo...


A.C.S.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Perseguindo o utópico, perseguindo você


Lá estava eu... com aquele frio na barriga que há muito não sentia, sensação que chega sem avisar... que simplismente vem, e tira o chão e o ar...
Não quis adminitir, não quis me deixar levar, mas agora é tarde para tomar uma outra direção.
É por você que meu coração bate mais forte, e é de você toda essa onda de sensações: o frio na barriga, o não existir das horas, essa ânsia de você, esse desespero em poder estar em seus braços...
E de repente eu estou lá... a beira do abismo. Aquele abismo que nos separa... Sem pensar duas vezes, eu pulo. Sem medo de cair, me jogo, na tentantiva vã de alcançá-lo. 
E a queda livre vem, não importando o tamanho do salto que eu dê, a queda é inevitável quando se persegue o utópico, quando se persegue você.


A.C.S.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Te vejo em breve, ou não tão breve assim...


Durante muito tempo eu tentei evitar isso... eu tentei me esconder... por vezes eu fugi... mas toda essa inércia cansa... e a anestesia uma hora tem que passar... 
Enquanto o tempo escorria entre meus dedos, a letargia urgia... eu era capaz apenas de sentir o peso do mundo sobre mim, sufocando todos os meus gritos.
Não sei quando, nem como... mas você apareceu... era como se já nos conhecessemos, mas ninguém saberia responder ao certo de onde...
Com você veio a calmaria, a tranquilidade e a leveza que minha vida precisava para encerrar um ciclo, mas ao me tirar da inércia total e me acordar dessa letargia que anestesiava meus sentidos, eu não podia mais fugir, tão pouco me esconder...
A vida não dá tréguas, precisava apenas viver o curto espaço de tempo que a vida me reservava. Foi então que mergulhei, eu sempre soube que o adeus seria inevitável... eu sempre soube que quando chegasse a hora de partir eu hesitaria... mas se é assim que tem que ser... não lamento por ter tido tão pouco tempo, por mais que eu desejasse no mais íntimo do meu ser que o mundo parasse naquele instante em que esteve entre meus braços, e eu pude sentir seu coração pulsar junto do meu... não posso mais adiantar o inevitável...
Em seus braços eu pude ser quem sou!
Em uma ânsia de ser eu mesma, me entreguei meio do avesso, mesmo sem saber por onde começar, tão pouco  para onde ia... se é que há como saber... mesmo queimando etapas, e é assim, meio sem jeito que eu tenho que partir, e deixá-lo ir. 
Talvez quando eu voltar eu tenha mais tempo, ou talvez não tenha tempo nenhum...


A.C.S.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Um ciclo se encerra



Era para ser sublime, reconfortante, satisfatório... No entanto, é assustador, angustiante... Aprovada! Quatro anos construindo um sonho, escrevendo uma história. O equilíbrio agora é fundamental para se equilibrar nessa corda bamba, sem ter para onde ir, sem referências para se sustentar, eis que se encerra um ciclo e uma nova caminhada se inicia.
É necessário continuar acreditando. A espera é necessária. Mas crescer dói, trabalhar cansa, e é assim que nos tornamos pessoas de valores. Quatro anos acumulando conhecimentos, quatro anos de convivência, de alegrias, de tristezas, de angústias, experiências e euforia...  
É difícil descrever os sentimentos que emergem dentro de mim...
Cada abraço é uma despedida, e as lágrimas insistem em queimar a borda dos meus olhos perdidos, um adeus ecoa ao fundo de cada memória revivida em minha mente.
Viver de contínuas esperanças, machuca, rouba o fôlego... Mas, viver órfão de esperanças é pior ainda. É suicídio lento!
A caminhada agora é por si só, mas não por isso deixará de ser intensa, árdua, e recompesante.
Não existe glória na meia entrega!

A.C.S.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

...


E a dor vai se instalando de modo letal... possiundo cada célula do meu corpo... anestesiando  meus sentindos... e de repente, nada mais existe para além da dor!

A.C.S.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A sociedade do individualismo

Já tinha um tempo que eu estava tentando começar, mas me faltava clareza de por onde deveria iniciar. Talvez devesse ir direto ao ponto, mas que autor joga sua tese sem antes contextualizá-la?
Ainda sim, prefiro ir direto ao ponto: vivemos em uma sociedade robotizada, que não pensa, não sente, apenas age conforme lhe é solicitado. Se contestamos, questionamos... incomodamos... e se incomodamos somos hipertivos, depremidos, maníacos, neuróticos, loucos!
Mas o que é ser louco? É ter um transtorno mental? No mundo em que vivemos me arrisco a dizer que um psicótico é mais saudável que nós normóticos, que aceitamos a realidade em nossa volta sem no mínimo questioná-la. A violência, os crimes organizados, as drogas, a família, as pessoas... tudo vem se tornando banal! Assistimos barbáries do sofá de nossas casas, e o que fazemos? Pegamos um saco de pipocas e ali nos acomodamos.
Felizes são os jovens que viveram na ditadura! É... felizes são os jovens que viveram na ditadura, que lutavam por direitos em comum, que pensavam na coletividade. Será que foi a falsa democracia que trouxe essa passividade à população? Se o Sistema Único de Saúde não dá conta de atender uma demanda, reclamamos "ahh é assim mesmo, SUS, é público!" Abaixamos nossa cabeça e nos conformamos, nada fazemos! Por que se dar ao trabalho de ir contra o sistema?
Outras gerações lutaram para a criação de uma sociedade de direitos, a nova geração por uma sociedade do individualismo. E individualismo é diferente de individualidade. Esquecemos das particularidades que caracterizam cada um, por uma supervalorização do pensar somente em si, desse modo, a alteridade se perde, e a sociedade se robotiza, já parou para pensar quantas coisas tomamos como verdades sem nem questioná-las uma única vez ao longo do dia? Mas, vale mesmo a pena questionar? Queimar meu cérebro pra quê? Talvez para não ser mais apenas um?!

"A objeção, o desvio, a desconfiança alegre, a vontade de troçar são sinais de saúde: tudo o que é absoluto pertence à patologia". (Friedrich Nietzsche).



A.C.S.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

...



As vezes tudo parece estar em seu devido lugar, mas o tempo sutilmente começa a mexer as peças... Lentamente o equílibrio se interrompe, sem que percebamos... e de repente o caos se instala!
Se a despedida chega como uma tempestade que inunda, como esperar que a ordem permaneça? A despedida vem como a noite, que chega apagando a luz...  
Antes, estávamos todos juntos... mas alguém saiu da sala de nossas vidas... Não há mais a presença física, mas as marcas deixadas provam que alguém ocupou esse lugar...

A.C.S.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Procurando uma direção


Para onde ir?  Onde encontrar uma direção? A noção de liberdade me abre um leque de possibilidades, traz a sensação de responsabilidade por minha vida, uma sensação de que sou única em meio a milhões, singular, autora da minha própria história, mas em contrapartida a solidão vem agregada a todos esses trazeres.
Um vazio inesplicável, um vazio existencial que parece nunca se preencher, por vezes me atormenta e me aterroriza. Onde encontrar tal completude? É possível encontrar o pedaço que falta? De fato, falta algum pedaço de mim?
Por diversas vezes andando sem rumo, procurando uma direção, penso em seguir o fluxo, mas fluxo não sou eu, e eu não sou o fluxo. A solução seria tão simples assim? Seguir o fluxo... Engolir as feridas, pôr garganta abaixo as perguntas não respondidas e seguir o fluxo. Ato tão banal...
Quando estamos na estrada indo para algum lugar, as placas a beira do caminho nos indicam uma direção. Mas para tanto, é preciso conhecer as placas.
O fluxo nem sempre leva aonde se quer chegar, o fluxo está trilhando por caminhos de prazeres fulgazes, que só termina em solidão e individualismo. Mas a solidão já não faz de mim sua morada? Mas esta solidão que habita meu ser, não é maléfica, esta solidão me mostra que tenho que fazer minhas próprias escolhas, pois ninguém poderá viver as consequências por mim, ninguém poderá viver ou morrer em meu lugar. A outra solidão - resultado do fluxo - individualiza, transforma corações de carne, em corações de pedra, não agrega, não traz crescimento, só faz sofrer, até que nos desligamos dos sentimentos e deixamos de sentir.
As placas... Cada um elege suas placas a sua maneira, em um mundo desregrado, é preciso escolhê-las bem, é preciso ter princípios, valores que nos levem a algum lugar. E seguir fluxo é se omitir, é mentir para si mesmo que é feliz.

"O louco diz que Deus não existe, mas o louco duas vezes diz que Deus existe, mas vive como se Ele não existisse".

A.C.S. 

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Seus olhos


Não quis me apaixonar
Não quis me entregar
Mas me perdi no seu olhar

Você me dispertor
O caos se instalou
Fazendo meu coração vibrar

Caminhei a passos lentos
Procurando a melhor forma pra dizer
Só existe uma razão para eu ficar aqui

E a razão são seus olhos
Seus olhos que se prendem aos meus
Seus olhos que me fazem tremer

---------------------------------------------------------


A decepção deveria ser maior, mas eu já esperava por isso... eu já esperava o seu não. Deus! Como meu coração doeu! Mas que bom que dói... Sinal que ainda sou capaz de sentir alguma coisa por alguém... que bom que abri meu coração... que bom que pude te dizer entrelinhas que gostei de você... que bom que me deixei levar por seu olhar, e sentir meu corpo tremer... meu sangue ferver... a cada conversa jogada fora... a cada olhar desviado...
Que bom que pude ter tudo isso, mesmo que tudo isso, não seja o tudo que eu quero... mas o tudo que você tem a oferecer já me foi dado. Mas eu sempre quero mais... de você eu quero tudo... quero tudo aquilo que não pode me ofertar...


A.C.S.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Nós


Eu não quis olhar para trás,
Temi que você não estivesse mais ali...
Então, continuei a caminhar...
Passos largos, quase que com pressa.
Afundei-me em minha cama.
Eu estava só... e só... pensava em você!
Pensei em como não podia deixá-lo ir...
Pensei nas coisas que não poderia deixar de dizer...
Na forma como me olha...
Na forma transparente e livre de cada palavra dita.
Cada centímetro seu, eu gravei em minha memória.
Você continuou lá... depois, eu soube disso.
Eu poderia ter olhado.
Porque seremos sempre nós.

A.C.S.

terça-feira, 31 de julho de 2012

E se eu dissesse?

E se eu dissesse que quero mais?
E se eu dissesse que o que quero é seu rosto junto do meu rosto?
E se eu dissesse que o que quero é estar junto, e não apenas estar com alguém?
E se eu dissesse que o que quero é estar com você?
Mas, e se eu me recusasse a disputar?
Teria você?
Ou perderia você?

A.C.S.

domingo, 29 de julho de 2012

Idas e vindas

Vou mudar a direção...
Emigrar faz parte do caminho...
E já me resta pouquíssima convicção.
O que antes parecia a coisa certa a fazer,
Me parece um tanto quanto errônea, distante, na contra mão...
Começo a acreditar que é só a vida me pregando mais uma de suas peças...
Paciência, agora é a última coisa que me resta!
Entre idas e vindas,
É inevitável a colisão!
E o meu coração se perde...

A.C.S.

sábado, 21 de julho de 2012

Amigos


A vida me mostrou que amigos de infância, são amigos de infância... Nós crescemos... Mudam-se os valores, mudam-se os sonhos, os objetivos e planos... A afinidade sem a convivência se perde.
Amigos de balada são amigos de balada... A noite acaba, e na calmaria do dia-a-dia, a sintonia desafina.
Amigos de faculdade, são amigos de faculdade. Convivemos alguns anos juntos, mas pouco sabemos sobre suas vidas, apenas o superficial, aquilo que qualquer um é capaz de saber. Possivelmente depois da colação, nos reencontraremos, e a relação será outra, seremos colegas de profissão.
Amigos, simplesmete amigos, estes são para a vida inteira... Podem se passar dias, meses, anos... e a relação, a afinidade, a sintonia continuam as mesma, pois o elo que faz ligação é muito forte, é verdadeiro. Amigos que são teus amigos de verdade, te conhecem como a palma de sua mão, te conhecem muitas vezes, melhor do que você mesmo poderia se conhecer. Não temem em te dizer a verdade, por mais dura que esta seja, pois não usam de meias verdades para te segurar ao seu lado. Te ganham com simplicidade, te ganham aos poucos, pois eles não têm pressa... até que te ganham por completo.
E por esses amigos eu enfrento desertos e tempestades se for preciso!

A.C.S.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Manto negro

Estive olhando para o céu negro por horas...
E de alguma forma, esse céu de escuridão sem fim, se assemelha a mim.
Nesse manto negro,
Pontos de luz, chamados de estrelas, não se deixam intimidar...
Não, julgo estar longe de ser uma estrela.
Mas sou como esse manto,
Que evidencia a luz que há por trás da escuridão...
Aos poucos, me sinto a vontade...
A vontade para me julgar ser como a lua.
Solitária...
Oras, cheia de si...
Oras, humilde o suficiente para mostrar aos olhos de todos sua pequenez.
Por instantes desvio o olhar...
Os faróis do carro revelam as placas de sinalização.
Placas estas, que para mim nada sinalizam!
Pois, não mostram a direção que devo seguir para ser de forma livre e plena quem sou...
Ser quem se é...
Propósito difícil de alcançar...
Caminho árduo...
Sem tréguas, nem atalhos.
E o leque de possibilidades que a vida me oferece
Me cega mais uma vez!

A.C.S.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Como um estranho

Passamos tanto tempo convivendo com pessoas... mas nada sabemos de suas vidas... seus sonhos... suas dores... suas alegrias... amores e desamores... e assim vamos criando cada vez mais relações superficiais, vamos nos tornando vazios... é triste ver como a humanidade está cada vez mais presa a um individualismo doentio... "cada um por si, e todos por nenhum"...
Sem mais nada a dizer... sou mais uma vez como um estranho, vagando sem uma direção... sou mais uma vez como um estranho caminhando por uma rua deserta... sou mais uma vez, apenas mais um rosto na multidão... perdido na multidão, dentre outros tantos rostos... mas isso não me importa... não machuca ou me afeta... pois eu não quero ter, eu quero ser. Ser tudo aquilo que você deseja ter...

A.C.S.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Tenacidade


Eu não me esqueço do lugar de onde vim...
Eu não me esqueço dos caminhos que percorri para estar até aqui...
Eu não me esqueço das pessoas que foram caras...
Eu não me esqueço daqueles obstáculos superados, tão pouco daqueles que me fizeram cair...
E de tudo o que vi, ouvi e vivi...
E as rupturas...
E de que foi com você que aprendi a admirar a fragilidade da vida...
Com sua sensibilidade que transborda no olhar...
Um jeito autêntico de ser no mundo...
Transformando tudo em poesia...
Faz com que a dor pareça menos sofrível e mais bonita...
E a serenidade... e a transparência de falar o que se sente...
E o silêncio pairando no ar, quando me faz olhar para dentro de mim...
E o estalo que tudo isso me causa...
Quando me percebo desperdiçando tantas coisas...
Porque para morrer só basta estarmos vivos...
E a vida é tênue... frágil... prestes a se romper e se desfazer em pequenos cacos a qualquer momento...
E enquanto aguardo pelo meu último suspiro...
Quero contemplar a vida que ainda me resta...
Com os olhos de um sonhador...


A.C.S.

...

Desde que me permiti sentir, um turbilhão de sentimentos e sensações se fizeram dentro de mim: senti a paixão e sua euforia, a raiva e a ira, a tristeza e a alegria, a dor e a saudade, e a saudade... Saí da anestesia geral e acordei daquele coma... Mas meus demônios emergiram... chegaram a superfície... e estão prestes a me possuir! Esse é preço que eu pago por me permitir sentir... Mas um preço alto ou um preço baixo a pagar, não importa... eu quero viver e sentir, seja lá o que for, sentir qualquer coisa que não seja o nada...

A.C.S.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Se eu soubesse...

Se eu soubesse que teria tão pouco tempo,
Teria te beijado até perder o fôlego...
Se eu soubesse que que partiria tão rápido,
Teria te abraçado mais forte,
Teria te prendido em meus braços até poder sentir o pulsar do seu coração...
Se eu soubesse que seria tão rápido e curto nosso tempo juntos,
Teria parado o relógio do mundo...
Quem sabe assim com nossos corpos se unindo o amanhã seria esquecido,
E teríamos somente o hoje para nós...
Quem sabe assim, quando chegasse a hora de ir...
Iríamos do mesmo jeito, mas iríamos com a vontade de voltar...

A.C.S.

domingo, 20 de maio de 2012

Ferida entreaberta

De repente, as coisas fogem de controle... e o que antes parecia terno se torna ácido... De repente a beleza se transfigura... a fragilidade da vida se impõe... me fazendo lembrar que sentir também implica em sofrer, se frustrar... sentir também é dor...
De repente o colorido que estava ali presente, volta a se preencher em escalas de cinza... e as tempestades dentro de mim voltam a se formar, e o vazio em mim queima... queima o vazio, assim como as lágrimas que se formam queimam meus olhos insistindo em descer...
Se eu soubesse que iria doer tanto... não teria me exposto desse jeito... completamente nua eu estava... despida de todas as minhas armaduras... desprovida de todas as minhas armas...
Sem armaduras, nem armas... me deixei ser atingida de maneira fatal, agora sangro... pois em meu peito jaz uma feriada entreaberta...


A.C.S.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Tempestade

Depois de uma tempestade que passa arrastando tudo, vem a calmaria, o silêncio...
Uma tempestade acaba de passar... no entanto, eu olho em minha volta e não vejo a calmaria, só ouço o silêncio dentro de mim...
Em meio a uma vida bagunçada e conturbada, eu posso dizer que agora eu encontrei um motivo para me firmar em algum lugar... um motivo tão doce e sutil que me faz querer ficar... um motivo que trouxe consigo outros tantos motivos...
Há tempos andava sem rumo... sem direção...
Mas agora, sinto que estou em casa novamente.. que seus braços são meu lar... que é ali onde eu quero sempre estar...
De repente em meio a tempestade, a bagunça do dia a dia, onde nada encontro, eis que me reencontro... quando nossos olhos se cruzam, meio que sem querer, quando nossas mãos se tocam, quando nossos corpos se juntam em uma dança desajeitada, quando enfim nossos lábios se unem, algo aqui dentro se reacende... algo que me deixa boba, me faz sorrir sozinha só de me lembrar do teu sorriso, algo do qual eu tenho que me proteger, mas sem ter que fugir...

A.C.S.

domingo, 6 de maio de 2012

...

Se quiser conquistar a vida que sempre sonhou, viva de acordo com os princípios dela...
Um simples ditado popular me deixou em estado de pânico por alguns minutos, me fazendo entender que para alcançar o que tanto sonhei eu preciso viver pautada sobre os princípios de tudo aquilo que quero alcançar. Preciso abandonar velhos hábitos e adotar outros... preciso agir de acordo com minhas convicções, e não me deixar levar pelos argumentos alheios, que vão contra meus ideais...
Quando eu começar a viver a minha nova vida, por minhas convicções em prática, sei que muitas coisas não vão sobreviver... laços vão ser desfeitos... vínculos vão se perder...

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Embriagante sensação


Estranha essa sensação que chega sem avisar,
Trazendo um brilho diferente à vida
Que até então se preenchia em escalas de cinza.
Quando penso em você,
Sinto a palidez dos meus dias desaparecerem
Trazendo a sensação de oxigenação fluir em minhas veias...
Minha fonte de inspiração se tornou você
Quero me deixar apaixonar
E correr esse risco...


A.C.S.

domingo, 25 de março de 2012

Sem sincrônia

Meu corpo se movimenta conforme as batidas da música.
Mas minha mente, meu espírito, nada sentem...
Permanece aquela inércia total!
Agora entendo o incomodo que Dexter fala a respeito de se ajustar,
É tortura fingir emoções que não se sente.
As vezes tenho a sensação de que tudo o que eu fiz foi tentar me ajustar...
Queria poder olhar o mundo com olhos de um sonhador,
Mas parece-me que isso foi-me privado.
Gostaria de fazer uma última promessa:
A de que agora em diante apenas o meu desejo prevalecerá!


A.C.S.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Deixa eu te olhar

Deixa-me te olhar... e te olhar... e te olhar...
A fim de gravar no mais íntimo de minha memória
Todos seus contornos, e texturas, e cores que te preenchem.
Deixa-me te olhar de bem perto...
Para que cada detalhe seu seja registrado e nunca mais esquecido.
Deixa-me observar teus gestos, sentir teu cheiro, provar teu gosto,
Pois se um dia meus olhos se apagarem, e não puder mais te ver
Dentro de mim as lembranças de todas as suas formas e cores
Permaneceram vivas, refletindo a luz que foi-me privada de ver...

Um dia a luz dos meus olhos poderá se apagar, e então não restará mais nada em que eles possam se focar... até que chegue esse dia, eu quero ter o prazer de olhar demoradamente para cada pessoa, cada objeto, cada ser vivo que cruzar meu caminho.
Quero olhar o contorno e as formas, a textura e a coloração que as preenche, e gravar tudo em minha memória a fim de nunca as esquecer.
Há tantas coisas em que não prestei atenção, seja por pressa, por falta de atenção, deixei de admirar muitas coisas...
Quero voltar a ver a vida com olhos de um sonhador...


A.C.S.

domingo, 11 de março de 2012

Na borda

Nos enganamos com tanta frequência. Não porque outras pessoas nos enganam, mas porque nós mesmos nos enganamos.
Pensamos, refletimos, pensamos e refletimos de novo, e pensamos e refletimos mais uma vez, e parece que nunca é o bastante. Que nunca nos conhecemos 100%, algo sempre se perde, fica para trás.
E esperamos tanto por algo, e quando o conseguimos, já não tem mais valor, já não faz mais sentido, parece superficial. Isso frusta, assusta e intimida, pois como é possível nos iludirmos com desejos, sonhos e fantasias que nós mesmos criamos?
Fico me perguntando se tudo isso é consequência do meu estado de inércia total...
As vezes me sinto anestesiada, como se não houvesse mais nada para sentir além do abismo diante de mim.
Invadida por uma sensação de queda livre, eu sinto a vida me pregando mais uma de suas peças...
Eu estou perto da borda, sinto que estou caindo...
Andando em círculos... enquanto essas palavras ecoam dentro da minha cabeça:
"Ela era uma garota que odiou o mundo
Usou seu corpo para refletir sua alma
Todas as vezes eles a quebravam e rasgavam seu coração, deixando-a na dor
Ela sobreviveu a toda tristeza mantendo a dor escondida
Ela mentia com um sorriso no rosto
E as cicatrizes escondidas
De joelhos, ela sangrou no chão
Toda tristeza que ela guardou a fez cega
Abrindo os seus olhos, ela viu que estava sozinha
Quem poderia explicar a corda tão apertada na noite em que ela morreu?
Com um sorriso no rosto ela escondia a dor por dentro..."

A.C.S.


"E é que somos fatalmente estranhos a nós mesmos, não nos compreendemos, temos que confundir-nos com os outros, estamos eternamente condenados a esta lei: 'não há ninguém que não seja estranho a si mesmo'".(NIETZSCHE, Friedrich. A Genealogia da Moral, 1887)

sábado, 10 de março de 2012

O inevitável



Em questão de segundos tudo pelo que eu havia vivido perde o sentido...
E um mal estar se apodera da minha alma.
As risadas forçadas quase me matam por dentro.
Tento negar que sinto medo.
Medo de confessar meus fracassos, os sonhos não sonhados, os riscos não corridos, tudo aquilo que eu deixei passar por medo de tentar...
Durante toda uma vida eu fui aquela politicamente correta.
Hoje, me pergunto o porquê, de que me valeu tanto esforço, se no fim sou eu quem acaba sempre sozinha...
É inevitável me sentir assim...
Quando todas as coisas evidenciam meu estado.
E quando me dou conta entendo que ninguém é de ninguém, e que na verdade todos estamos sozinhos...
Mas eu posso deitar minha cabeça em meu travesseiro todas as noites sem arrependimentos...


A.C.S.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Além do que seus olhos podem ver - Parte IV

Aos poucos vou entristecendo com a ausência e o afastamento das pessoas que me são importantes... uma lágrima começa a brotar dos meus olhos... mas eu a engulo, e continuo minha caminhada...
Não posso chorar e me lamentar pelas escolhas que são tomadas pelo outro. Mas essas escolhas muitas vezes me afetam diretamente e eu não sei o que fazer...
E me dói... me dói ver essas pessoas cada vez mais longe enquanto eu as quero bem aqui, perto de mim...
Todo esforço de fazê-las ver quão importantes são em minha vida parecem em vão, e a vida me ensina que pessoas vem e vão, mas se você tem amor, mostre-o, não o esconda.
E a única coisa que eu peço é para que elas não vão embora, que fiquem um pouco mais...

A.C.S.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Sem sentidos

Enquanto a vida acontece lá fora
Eu continuo indiferente aqui...
Existe uma música de fundo
Mas eu sou incapaz de escutá-la...
Eu olho ao meu redor mas nada vejo...
Sentir... Eu preciso sentir...
Mas me encontro no meu quarto vazio, inerte...
Meus pensamentos não estão mais aqui.
Não estão em lugar nenhum...
Não há alguém em que eu possa pensar, sentir falta...
Alguém que faça meu coração vibrar.
Eu escolhi isso, eu sei.
Porém não sei até quando vou suportar o preço por sustentar essa escolha.

A.C.S.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Subjetividades


Quando a dor atingir o seu ápice, anestesiando os demais sentidos, só resta uma coisa a se fazer: senti-la!
A dor só nos serve para reafirmar nossa existência, nos relembrando o quanto estamos vivos! Negá-la é o mesmo que negar a si mesmo. A dor é subjetiva, de tal forma que ninguém mais a sente como o seu portador. Fato que a torna única para cada pessoa. Pois cada pessoa é única!
Por sermos únicos não devemos rejeitar a dor, mesmo quando esta chegar sem avisar, pois ela também faz parte desse emaranhado de subjetividades que nos fazem seres únicos... por isso precisamos sentir... pois ninguém mais a sentirá como e por nós...
A dor pode aprisionar a alma daquele que a sente, mas em seu ápice é capaz de libertar...
O preço da liberdade está no ato de sentir... Sentir tudo o que a vida nos traz, sentir tudo aquilo que talvez por medo, ou receio se negamos a sentir em sua maior intensidade.
Ahh a subjetividade! Vários sabores, várias sensações e emoções... que não são compartilhadas, nem repetidas. Uma experiência vivida mais de uma vez não tem o mesmo valor e o mesmo sabor da primeira, o que a torna única, como todo o resto em nosso vida...



A.C.S.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A filosofia dos fortes-sábios


"Quero aprender a viver como você vive.", assim ela me dizia...
Não poderia limitá-la a ser como eu... levá-la a viver de um modo tão solitário. Não há limites para a essência de um ser, e assim, ela deveria me superar, como um discípulo que supera seu mestre, para assim se tornar um mestre também.
Eu não poderia ensiná-la outra coisa que não SUPERAÇÃO. Superar seus limites, superar os obstáculos, superar a dor, ir além, além das próprias forças, além das próprios sonhos e perspectivas, superar a si mesma.
Não se pode estacionar na vida e assistí-la passar. Não nos é permitido ficar nos lamentando pela dor que nos é causada. Atrasos de vida não nos são permitidos.
Superação nada tem haver com fuga e esquiva. Fuga e esquiva são para os fracos. Enquanto os fracos fogem, os fortes encaram o que há por vir, mesmo desconhecendo o que a vida lhes reserva.
Na filosofia dos fortes só existe um verbo que dá origem a todos os outros: SUPERAR, e a sabedoria é o caminho.
Não se pode esquecer do lugar de onde veio. Pois não se pode negar o passado, mesmo desejando que ele nunca tivesse existido. O Eu do ontem constituiu o Eu do hoje, que constituirá o Eu do amanhã. A sabedoria porvém da experiência.
Não se vence uma batalha batendo em retirada, só se vence lutando! Porém para ser forte, precisar ser sábio, e o sábio reconhece o momento do qual precisar lutar e o momento do qual deve bater em retirada e desistir. É preciso ter coragem para desistir. Pois muitas vezes nos deparamos com batalhas perdidas. E na filosofia dos fortes-sábios insistir em uma batalha perdida não é morrer com honra, mas sim suicidar-se, e a honra dos fortes-sábios é se manter vivo.
A ignorância de vez enquando é a melhor forma de revidar. E os fortes-sábios, sabem disso.

A.C.S.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Por Inteiro

As relações só são verdadeiras quando as pessoas se entregam por inteiro. Estas podem estar longe de serem duradouras, porém são intensas, avassaladoras, fazem seu coração bater mais forte! Te devolvendo à vida! Porque isso é VIVER é SENTIR, sem pudor, sem receios... É topar com o que a vida nos oferece, e arriscar!
Não quero as pessoas ao meu lado pela metade...
Pois as quero por inteiro, quero que elas me sintam... como eu as sinto, na sua maior complexidade...

A.C.S.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Meu reflexo

Como um espelho que reflete uma imagem tal como ela o é
Me reflita...
Da forma como só você vê
Me reflita, melhor do que eu me julgo ser
Como um quebra-cabeça, que na união das peças se faz um,
Me decifre...
Encaixando seu corpo ao meu, feito aquela peça que faltava
Me complete...
E juntos seremos um...

A.C.S.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Metade


"E que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio.

Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
E a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso
Mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.

Que não seja preciso mais que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é a platéia
A outra metade é a canção.

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também."


(Oswaldo Montenegro)

Porque só você faz meu coração bater mais forte

"Eu não sei o que acontece comigo...
Mas de repente, me pego pensando em você
Sentindo seu cheiro em meu travesseiro
Me recordando de cada palavra, de cada gesto seu
É só com você que meu coração bate mais forte
"Você é muito mais que isso"
É meu lar
E é assim que eu sinto
Quando você encosta sua cabeça no meu peito e dorme
Mas de repente você não está mais lá
Seguiu em frente, me deixando pra trás
Assim como você sempre faz
Pelo menos uma vez, queria que você parasse de fugir de mim
E me desse uma chance de ser feliz...
Feliz com você..."


E mais um vez estou aqui, esperando por você... Quando será que vou aprender que você só vem pra bagunçar meu coração? Que em um primeiro momento você até parece se importar, mas depois... depois foge sem nem avisar.
Do que você tem tanto medo? De se apaixonar por mim? De perceber que assim como você mexe comigo, eu também mecho com você? De ter a certeza que sou eu, e somente eu que faço seu coração bater mais forte?
Pare de fugir de mim, porque dizem que amor de verdade só existe um...


A.C.S.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Além do que seus olhos podem ver - Parte III

Coisas que pensei ter deixado pra trás assombram minha mente. Como se um filme de terror rodasse diante dos meus olhos. Não se pode negar o passado, mesmo com você desejando que ele nunca existisse...


A.C.S.