quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Comprometer-se

Então um dia você descobre que o amor sozinho não é capaz de sustentar nenhuma relação. E de repente o mundo, o lugar onde você habita, se torna um lugar estranho e hostil, pois tudo o que você havia imaginado se fragmenta.
Daí a primeira pergunta que lhe vem a mente é: se não é o amor, que diabos é capaz de sustentar um relacionamento?
Eu acredito que um conjunto de coisas. E dentre essas tantas coisas, além do respeito, o comprometimento.
Comprometer-se com alguém é assumir um dever, uma obrigação, um pacto, uma aliança, de que ela pode contar com você, e você com ela, em quaisquer circunstâncias, respeitando os limites que cada um impõe, é buscar entender e apoiar, mesmo sem concordar, desde que isso não fira o outro.
Sustentar uma relação exige paciência, e abnegação, é se abster muitas vezes da sua satisfação, em prol da satisfação do outro, é uma troca.
E se você é capaz de ser feliz sozinho, é capaz de ser feliz com qualquer um, o outro se torna complemento da sua felicidade, e não a razão da mesma.
Mas para que tudo isso haja, é necessário comprometer-se.


None.


terça-feira, 17 de novembro de 2015

Hã?!

- O que vocês está sentindo? Perguntou ele então.
- Solidão, o vazio, o nada absoluto. Ela respondeu.
Ele ficou confuso, sem entender, sem saber o que responder.
Não conseguimos entender completamente a complexidade das emoções, nem quem as ouve, nem quem as sente.
Contudo, penso que no dia em que entendermos e sobretudo aceitarmos que não somos suficientes, não somos completude para o outro, conseguiremos ser mais felizes com nós mesmos, e com a incompletude que sempre nos acompanha.


None

O melhor de nós

Deixa eu descobrir o que te faz sorrir 
Deixa eu me perder em você 
Se eu quiser sentir, se eu me machucar 
Quem é que vai cuidar de mim? 

Enquanto durar o nosso infinito 
Enquanto for pra ser, deixa ser 
Deixa eu parecer com quem você sonhou? 
Deixa eu morar num abraço teu? 
Porque eu quero dividir os meus dias com você 
E fazer de nós um só 

Enquanto durar o nosso infinito 
Enquanto for pra ser, deixa ser 
Deixa ser o melhor de nós 
A primeira vez, sem fim 
Deixa ser bem maior que nós 
A última vez, enfim 
Deixa ser 

Composição: Leandro Neko / Jef 

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Um passo de fé


Quantas e quantas vezes nos falta um pouco de fé, um pouco de confiança em nós e nos outros?
Quantas e quantas vezes nos vemos sem nenhuma direção, alheios a nós mesmos?
Respiro fundo... e essas paredes parecem me sufocar!
Em meu íntimo só há o silêncio e uma onda de entorpecimento, como se já não existisse mais nada em que eu pudesse me apoiar.
E de repente, olhando mais a fundo eu percebo que tudo é uma questão de "permitir-se", "autorizar-se", ser quem se é! Não se pode ter fé, sem se autorizar ser um crente; arriscar é viver... O destino não é uma questão de sorte, e sim uma questão de escolha, então que possamos escolher se arriscar mais, dar "um passo de fé" e ir...


None

Caminhos estranhos

A solidão nos leva a percorrer caminhos estranhos a nós mesmos... Nos põe á bera do abismo e sussurra em nossos ouvidos "pula!"
Quantas vezes já pulamos?
Sem calcular a queda se jogamos... Se jogamos por não haver mais o que perder, uma vez que somos tomados pela dor, já não nos resta sanidade, e a queda é tudo o que somos, é tudo que temos, é a única coisa que nos resta, pois já faz parte de nós...



None

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

...

Quando eu menos espero sou abatida por uma onde de sentimentos que nem sei nomear. Nomear... Ação de dar nomes... 
Muitas vezes não somos inseridos adequadamente no mundo das palavras, e como sintoma, não aprendemos nomear, não damos nomes aos sentimentos, e não sabemos ao certo de que sofremos, onde nos afeta, por que afeta, o que nos causa, por que causa?


None

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Necessidade



É como se o tempo se encarregasse de fazer com que
Meus olhos tivessem necessidade de seus olhos
Minha boa tivesse necessidade de sua boca
Minha pele tivesse necessidade de sua pele
Como se cada célula do meu corpo tivesse necessidade de cada célula de seu corpo
Minha voz tivesse necessidade de seus ouvidos
Meus ouvidos tivesse necessidade de sua voz
Meu respirar tivesse necessidade do seu ar
É como se houvesse uma urgência em te ter como meu, e em te pertencer.


A.C.S.

...



"Eles não sabem o que isso significa pra você?"
E você sabe?
Foi somente eu quem sonhou com tudo aquilo que poderíamos compartilhar e não compartilhamos, com os lugares que poderíamos ir e não fomos, com a vida que poderíamos viver e não vivemos.
Foi somente eu quem cogitou jogar minha vida fora pra viver essa história.
Foi somente eu quem pediu para ser escolhida naquele tempo, com todos os meus e os seus avessos.
O tempo passou... mas nem tudo passou com o tempo. Como o sentimento que nos enlaça.
Optamos por viver como em uma dança que dançamos sem ensaios, como um bilhete de loteria que ninguém tem certeza se ganha ou se perde. Arriscamos o que somos, o que temos, com o risco iminente da queda. Porém conquistamos o nosso ápice, pois nos jogamos sem medo de cair.