domingo, 18 de abril de 2010

Esperança de um fim...

Muitas vezes nos entregamos, nos rendemos ao que estamos sentindo, sem imaginar que toda essa entrega pode nos causar uma enorme ferida, da qual tentamos nos livrar, mas parece nunca cicatrizar.
E assim seguimos nossa caminho, dia após dia, alimentando aquele oco em nosso íntimo, como se isso nos mantivesse vivos, nos tornando egoístas, pois tudo o que somos capazes de sentir é esse buraco queimando nas bordas.
Tentamos duramente não pensar mais no que tanto nos faz sofrer, qualquer artifício é válido na luta desesperada para fazer com que tudo desapareça... um remédio para acalmar a dor... apenas uma remédio para acalmar a dor...
Quando a dor chega em seu ápice, esquecemos totalmente de quem somos, perdemos a fé no outro e em nós mesmos.
Quando o desespero invadir seu coração lembre-se que a dor é inevitável, o sofrimento é opcional, não perca a fé, sobretudo na fé em si próprio... solidão é intolerável, a medida que nos abandonamos e desistimos de lutar pela nossa felicidade. É preciso lembrar que não existe felicidade livre de todo e qualquer sofrimento, mas somente nós podemos decidir o que fazer com eles, se os tomamos como aprendizado, ou se nos tornamos escravos e nos rendemos a eles.



"O importante não é o que fazem de nós, mas o que fazemos com o que fazem de nós..."
Sartre


A.C.S.