segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

É preciso coragem!

Quantas chances você já perdeu de ser feliz?
Quantas oportunidades lhes escaparam entre os dedos?
Ser feliz requer coragem, garra, ousadia... sobretudo, espontaneidade e autenticidade.
Não se pode ser feliz mascarando quem se é, agindo de forma que agrade os outros e que agrida a si próprio. A luta incansável em atingir os padrões ditados pelo sistema nos afasta de maneira silenciosa da felicidade tão almejada por nós.
As técnicas de "tortura'' para alcançar o corpo "perfeito", os golpes aplicados para comprar qualidade de vida, e o "massacre" dos 15 minutos de fama, se tornaram os valores adotados em nossa sociedade.
Não tem nada de errado em cuidar do corpo, se pautando em hábitos saudáveis, visando o bem estar e a saúde, e não o enquadramento doentio que nos pluraliza, nos tornando APENAS mais um. Tão pouco seja errado buscar qualidade de vida e bem estar, desde que essa busca não seja compulsiva em ter... ter... e ter... mas que priorize o ser. Porque o ter é fugaz, o material se dissolve! Quanto a mídia, devido aos reality show e aos 15 minutos de fama, o que é promovido são figuras e programas que agridem nossa inteligência, figuras que fazem uso do corpo para se destacarem e piadas e jargões que só mancham a imagem do brasileiro.
Brasil também tem cultura, apesar da política suja e do funk de beira de esquina, também tem cultura! O brasileiro é a mistura das raças, uma história inteira a explorar.
E a felicidade onde ficou?
Foi engolida pela massificação!
É preciso coragem!
Coragem para dizer não e nadar contra a maré. Coragem para aceitar verdadeiramente quem se é!
Dizem que não tem receita para felicidade, mas eu sei de uma:
Seja verdadeiro com os demais, sobretudo, seja verdadeiro consigo mesmo.
A felicidade não é algo avassalador, pelo contrário, é tênue. Você só percebe quando presta atenção nos detalhes!

A.C.S.

domingo, 9 de janeiro de 2011

Questões

Em outros tempos, juro... eu estaria me rasgando ao meio!
Isso me preocupa... a minha falta de preocupação!
É crime ser feliz quando nada lhe parece favorável?
É pecado abandonar a ilusão e adotar a intenção?
É ousadia falar o que pensa e expressar aquilo que deseja?
Tem perdão em equibrar a razão e a emoção?
É aceitável correr riscos?
É possível acertar errando?
É coragem ou falta dela correr de uma luta perdida?
É maturidade ou fragilidade aprender a dizer não?
É errado antes de... comer, beber, levar, comprar, usar, tomar, casar, aceitar e dizer SIM?
Não é provando que se sabe que gosto tem?
Não é tentando que se acerta e aprende?
Se é preciso tentar, é preciso arriscar!
Não existe o porquê da intolerância com que comete erros. Porque não existe esse negócio de erros, o que existe são tentativas inacertadas.


A.C.S.

Rumo ao...

Segundo Rogers o homem traz consigo a capacidade e a tendência de caminhar rumo ao desenvolvimento. Fico imaginando se Rogers não superestimou os homens. Acredito fielmente quando ele diz que as relações nos proporcionam a oportunidade de crescer. Afinal, sempre aprendemos algo nas relações que construímos no decorrer da nossa existência, sempre agregamos conhecimento com nossas experiências.
Tudo o que somos hoje é uma construção advindas das nossas vivências. Porém as vezes essa construção precisa ser descontruída. Precisamos dar novos significados a velhas vivências... só assim será possível alcançar o desenvolvimento e a maturidade como Rogers sugere. Certamente assim um dia eu possa ver homens e mulheres, brancos e negros, católicos e protestantes, se tratarem como iguais, pois seus valores vem a priori, não importando gênero, raça ou crença.


A.C.S