quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O peso das nossas escollhas

A vida nos prega peças engraçadas, de uma hora para outra tudo vira de cabeça para baixo... como se o mundo não tivesse chão.
Aí você descobre que o amor, não se sustenta sozinho, é preciso de algo mais. O que é o amor na ausência das pessoas? Um sentimento puramente abstrato, sem força alguma para fazer do mundo um lugar melhor.
Somos seres tão pequenos diante do mundo, mas capazes de causas estragos tão profundos! Esse é o preço que pagamos pela liberdade, somos responsáveis e donos das nossas escolhas, e por isso precisamos enfrentar as consequências das mesmas.
Acho que isso é o de mais admirante na raça humana, a incapacidade de aceitar os resultados de suas ações, sem que haja resistências. No final nem percebemos que somos nós mesmos que causamos a maior dor em nossas vidas, porque deixamos que o outro decida por nós, e permitimos que o outro violem nossos sentimentos.
É difícil aceitar que chega determinados momentos em que sua vida desmorona e não há bordas das quais você possa se sustentar, a queda é livre e parece não ter fim, o abismo simplesmente toma conta de toda a sua visão, e a dor parece não ter fim. É tão difícil que eu mesma ainda não aceitei.
Embora a raça humana seja uma raça corrompida, todas as pessoas merecem uma segunda chance, mas quantas segundas chances você dá para o outro e nega a si próprio?
Existem vários modos de recomeçar, o começo não é apenas uma forma, mas o fim também o é. Terminar o que já está começado e reiniciar de algo novo.
Fazer escolhas definitivamente, não é a coisa a mais legal, ainda mais quando uma decisão envolve uma pessoa que você ama. Nossas escolhas de uma maneira direto ou indireta, sempre afetará a vida do outro. Eis o que a torna mais difícil de ser feita!
Como donos de nossos próprios destinos, abracemos essa liberdade, e sejamos livres para trilhar o caminho que escolhemos, e se esse caminho for partilhado, desfrute do que a companhia pode lhe oferecer de melhor, e viva todos os momentos como se fossem os últimos.


A.C.S.

sábado, 17 de outubro de 2009

Escravos do tempo e da espera

Quantas vezes já perdemos pessoas importantes em nossas vidas, não por fatalidades do destino, mas por falta de cuidado. Esquecemos, ou nos "falta tempo" para dar a devida atenção que elas precisam. A melhor desculpa que arrumamos é que "não tivemos tempo", é algo tão fácil de ser aceito. Mas não por muito tempo.
Quando transferimos a culpa no tempo, inconscientemente pensamos ter deixado de ter um certo compromisso com o outro, doce engano! Acabamos por nos tornar, vítimas, escravos desse tempo, que na realidade não existe como pensamos, simples horas demarcadas por ponteiros. Somos nós que criamos o tempo, por isso temos que usá-lo a nosso favor, não contra nós. Quem decide o que pode ou não fazer com o tempo que temos, somos nós mesmos. Não nos foram disponibilizados apenas algumas horas do dia, mas vários dias inteiros... Resta agora usá-lo com sabedoria, sem desperdiçar um segundo se quer de vida. Cada um administra seu tempo como quer, e tem o tempo vago que quer para fazer o que quer e/ou o que não quer.
Se nessas 24 horas de hoje você não arrumou tempo para fazer tudo o que queria e precisa, não deu nem para dar um telefone àquela pessoa, não deixe passar de amanhã, pois em certo momento sua falta de disponibilidade, será vista como desamor, e não poderá culpá-la por isso.
Se for para deixar alguém esperando por sua atenção, dedicação, carinho, amor, apoio, ou seja lá o que for que esse alguém espere, não faça compromisso, não se amarre à ela, não a faça perder tempo...
As pessoas se cansam de esperar, elas também se cansam de ser deixadas para depois. Alguém já dizia: "Se uma pessoa não tem tempo para você, desista dessa pessoa, pois ela já desistiu de você!"
Se deixarmos de cuidar devidamente das pessoas que nos cercam, elas vão se afastar lentamente, de uma forma silenciosa, quase imperceptível, e quando menos esperarmos, será tarde... Não terá como voltar atrás para nos redimirmos por nossas falhas. Poderá não ser tarde para pedir desculpas, porém, desculpas não concertam o que deu errado, nem retomam na mesma intensidade o que se tinha antes.
Por isso faz-se necessário fazer nosso tempo, cuidar de quem cuida de nós. Se não for possível cumprir algo com alguém, peça desculpas antecipadamente, não o deixe esperando, evite magoá-lo sem intenção, evite causar-lhe dor sem necessidade. Porque falta de atenção, falta de tempo, falta de cuidado, falta de dedicação, falta de (...), muitas vezes subentendem falta de amor, falta de consideração, falta de lealdade... Enfim, tudo acaba girando em torno das faltas.
Não espere que alguém faça de você prioridade, faça de sua prioridade você mesmo.

"Nunca trate como prioridade quem te trata como opção!"


A.C.S.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Palavras ao vento

De repente tudo pareceu sem nexo...
O distante se torna próximo... O próximo se torna distante!
O medo de se perder preenche todo o meu ser.
A distância já não machuca, mas a proximidade distante dilacera-me.
Uma onda de nostalgia assola minha alma,
Formando um imenso buraco em meu peito.
Suas bordas queimam, como se estivessem rasgando-me por dentro...
Ah!! Bendita solidão, porque faz com que eu me sinta viva o bastante!
Fazendo-me dispertar de todo entorpecimento...
Hoje eu acordei mais cedo...
Pude ver toda minha vida, no reflexo do espelho.
Meus olhos não possuíam o mesmo brilho de antes,
Pois eles já não alcançam os olhos daquele que um dia eu tanto amei.
Depois de meses, hoje eu voltei a escrever, mas pouco me importa se alguém vá parar e ler.
É mais um desabafo...
Palavras ao vento...
Um dia estaremos juntos, e a solidão enfim me deixará ir.
E, a essência do amor, me fará voar, um lindo sentimento que irá me devolver à vida!


A.C.S.