domingo, 24 de abril de 2011

Eu e a Solidão

Me encontro dialogando com a solidão...
As ruas parecem vazias,
Como eu e a nossa paixão.
O sol vai se apagando ao se por,
Como o brilho dos meus olhos ao não encontrar os teus...
Me recuso a viver à mercê de recaídas!
Me iludindo que uma parte de você me pertence...
Te quero por inteiro!
Te quero de qualquer jeito.
As horas insistem em passar...
E você continua se recusando a voltar!
Eu acreditei fielmente em seu amor.
Eu dei tudo de mim...
Eu sacrifiquei muito para estar hoje aqui,
Esperando você...
Ninguém nunca vai te amar como eu te amo!
Tão grande é meu amor que eu desisto de você...
Siga seu caminho,
Que eu seguirei o meu.
Talvez um dia você abra os olhos e entenda
Tudo que deixei pra trás em nome desse amor,
Que eu nunca tive a felicidade de viver...


A.C.S.

Por que?

Terei eu que abrir mão mais uma vez de você?
Terei eu que calar ainda mais o que sinto?
Eu também fiz muitos sacrifícios...
Por quanto tempo mais vamos fingir que não nos importamos?
Por quanto tempo mais vamos permitir que a religião nos separe?
Se a fé que temos é em um único Deus...
Que deus é esse que me separa de você e não apaga esse amor que guardo a tantos anos?
Se ele não nos quer juntos, por que ainda permite que nossos caminhos se cruzem?
Que lição ainda me falta aprender?
Quanto mais ainda terei que sofrer?
Por que eu sempre chego tarde demais?
Eu sempre chego depois...
Depois que você já foi...
Eu acreditei que tivesse aprendido.
Mas ainda há muito que aprender sobre mim.


A.C.S.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

É difícil disfarçar

TIRE O SEU SORRISO DO CAMINHO
QUE EU QUERO PASSAR COM A MINHA DOR
Hoje pra você eu sou espinho
Espinho não machuca a flor
Eu so errei quando juntei minh'alma a sua
O sol não pode viver perto da lua
É no espelho que eu vejo a minha magoa
A minha dor e os meus olhos rasos d'agua
EU NA SUA VIDA JÁ FUI UMA FLOR
HOJE SOU UM ESPINHO EM SEU AMOR

(A Flor E O Espinho_Paulinho Moska)