sexta-feira, 29 de junho de 2012

Como um estranho

Passamos tanto tempo convivendo com pessoas... mas nada sabemos de suas vidas... seus sonhos... suas dores... suas alegrias... amores e desamores... e assim vamos criando cada vez mais relações superficiais, vamos nos tornando vazios... é triste ver como a humanidade está cada vez mais presa a um individualismo doentio... "cada um por si, e todos por nenhum"...
Sem mais nada a dizer... sou mais uma vez como um estranho, vagando sem uma direção... sou mais uma vez como um estranho caminhando por uma rua deserta... sou mais uma vez, apenas mais um rosto na multidão... perdido na multidão, dentre outros tantos rostos... mas isso não me importa... não machuca ou me afeta... pois eu não quero ter, eu quero ser. Ser tudo aquilo que você deseja ter...

A.C.S.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Tenacidade


Eu não me esqueço do lugar de onde vim...
Eu não me esqueço dos caminhos que percorri para estar até aqui...
Eu não me esqueço das pessoas que foram caras...
Eu não me esqueço daqueles obstáculos superados, tão pouco daqueles que me fizeram cair...
E de tudo o que vi, ouvi e vivi...
E as rupturas...
E de que foi com você que aprendi a admirar a fragilidade da vida...
Com sua sensibilidade que transborda no olhar...
Um jeito autêntico de ser no mundo...
Transformando tudo em poesia...
Faz com que a dor pareça menos sofrível e mais bonita...
E a serenidade... e a transparência de falar o que se sente...
E o silêncio pairando no ar, quando me faz olhar para dentro de mim...
E o estalo que tudo isso me causa...
Quando me percebo desperdiçando tantas coisas...
Porque para morrer só basta estarmos vivos...
E a vida é tênue... frágil... prestes a se romper e se desfazer em pequenos cacos a qualquer momento...
E enquanto aguardo pelo meu último suspiro...
Quero contemplar a vida que ainda me resta...
Com os olhos de um sonhador...


A.C.S.

...

Desde que me permiti sentir, um turbilhão de sentimentos e sensações se fizeram dentro de mim: senti a paixão e sua euforia, a raiva e a ira, a tristeza e a alegria, a dor e a saudade, e a saudade... Saí da anestesia geral e acordei daquele coma... Mas meus demônios emergiram... chegaram a superfície... e estão prestes a me possuir! Esse é preço que eu pago por me permitir sentir... Mas um preço alto ou um preço baixo a pagar, não importa... eu quero viver e sentir, seja lá o que for, sentir qualquer coisa que não seja o nada...

A.C.S.