terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sob minha pele

A forma como seus olhos olham os meus chega a doer...
Um olhar inocente, e intenso, com amor,
Um olhar que eu jamais vou ter...
Eu estava ali... eu continuo ali...
Buscando incessamentemente um lugar aonde eu pertença,
Talvez a lugar nenhum eu pertença...
Talvez eu tenha me perdido de mim...
Talvez eu tenha medo de me encontrar...
Seus olhos em meus olhos,
Um encontro doloroso,
Pois a cada olhar se evidência ainda mais a minha desorientação, o meu não ajustamento, o meu não pertencimento!

As vezes sinto como se fosse impossível me encaixar em algum lugar... como se meu lugar não fosse nesse mundo, como se eu nunca fosse me ajustar...
Como um estranho vagando, passo pelo mundo de forma despercebida como a brisa do anoitecer, onde poucos a veem passar...
Alguém sem forma definida... um ser mutável! Talvez aí esteja uma virtude, aí esteja minha força...

A.C.S.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Vida Vazia

Logo aprendemos a não esperar muito das outras pessoas, a não criar espectativas, a não idealizar... A não esperar que o outro nos retribua na mesma medida...
As relações têm se tornado cada vez mais vazias, hoje as pessoas ao perguntarem "como você está?", já esperam uma resposta automática "estou bem, e você?", e nós como animais bem domesticados respondemos prontamente, uma resposta superficial para um pergunta superficial. O fato é que hoje consciente ou inconsciente pouco nos importamos em como os outros estão se sentindo. Afinal de contas, há tantas coisas para se preocupar... trabalho, estudos, a casa, os filhos, o marido, o namorado, as contas no fim do mês...
Mas tempo é uma questão de preferência, e se não temos tempo para visitar um amigo, a escutá-lo em sua angústia, porque passamos tanto tempo conversando com eles pelo msn, orkut, twitter, skype, e tantos outros meios que no momento desconheço?
É por isso que as relações estão se tornando cada vez mais vazias, não conhecemos o outro, e o outro não nos conhece... mas o primordial, não nos conhecemos mais...
Assim nos afastamos das pessoas, pois em geral elas não estão disponíveis para nos ouvir, e nos fechamos em nosso mundo feito de cristal, tão frágil que facilmente é ruído por qualquer decepção, e assim nos tornamos sós... uma solidão intolerável, pois mesmo cercado por pessoas nos sentimos sós.
Talvez isso seja o individualismo, cada um por si e Deus por todos!
A cada dia vivido dessa minha infame existência, vou perdendo a pouca fé que me resta na humanidade, e como sou humana, direta ou inderetamente perco a fé em mim... pois a passos silenciosos caminho para meu próprio individualismo, gritando, clamando por dentro para que alguém me salve, me devolva a fé e a esperança, e que me liberte, antes que seja tragada por esse mal que tanto confronto, me negando a me ajustar nesse modo de vida egoísta e medíocre.

A.C.S.


Vida Vazia
http://www.youtube.com/watch?v=1pe1zRK_GjQ

(Eu nunca pensei que seria um soldado,
Eu tenho meu lugar dentro da batalha.
Eu percebi que a jornada acabou,
Percebi que a vida é firme)

Todos os dias eu sou como um soldado
Acordando dentro de uma batalha
E dentro da névoa eu vivo um sonho que é melhor
Do que eu sinto por dentro, cavando em mim.

Sofrendo na escuridão em meus olhos contra a luz de Roma
Eu vejo o reflexo do fantasma que eu me tornei
Esperando atrás das janelas, Eu me recuso a ficar sozinho
Eu quero ficar sozinho, e me perder nessas solidão

Vida Vazia
Eu ficarei perto do chão
Vida Vazia
As paredes continuam a cair
Eu fecho meus olhos
Eu encontrarei meu caminho
nesta vida vazia

(Bem-vindo ao ponto de partida)

Sofrendo na escuridão em meus olhos contra a noite de Roma
Eu fiquei confuso e tudo que eu ouço é a mim
Vou demitir-se em busca da paz de espírito, eu estou em mim mesma
Eu preciso estar sozinho e perdido nesta solidão...

(Lacuna Coil_Shallow Life)