sábado, 11 de dezembro de 2010

Quem diria hein!

Nunca imaginei que diria isso mas, sinta falta do silêncio, passei tanto tempo sozinha que... sinto falta da minha solidão! Olhar para o nada e ver o tempo passar, sem pressa de sair do transe dos meus devaneios... Agora pausadamente eu navego em meus pensamentos...
Cinco anos se passaram, muitas coisas mudaram, muitas pessoas me marcaram, mas eu ainda sonho em como seria envelhecer ao seu lado...
Foi preciso passar todo esse tempo para que dois corpos se reencontrassem e finalmente se unissem. Eu te amo, sempre amei, mesmo quando você se fez ausente, meu amor por você continuava ali... guradado... adormecido...
Eu pensei que estava curada, pensei estar livre... mas um dia sem avisar você aparece dizendo que sentiu saudades, que se arrependeu por ter sumido por tanto tempo. E assim dividiu meu mundo! Me levando a ter inúmeras recaídas, e agora me vejo mais uma vez presa nesse ciclo vicioso de encontros e desencontros...
Hoje, sinto que já não posso mais me sustentar nessa posição. Ainda te amo, mas quero certezas, pois não tenho mais condições de ficar esperando por alguém que não sei se virá!


A.C.S.

Ardente desejo

Bastou uma dose... uma única vez... uma única noite...
Para que os sintomas de uma síndrome de abstinência se manisfestassem em mim.
Cada célula do meu corpo deseja o contato ardente de sua pele.
Uma constante masturbação mental toma conta de mim, ao relembrar do seu corpo sobre o meu...
Logo sou dominada por uma febre ardente e uma sedenta sede de você, me fazendo delirar de desejo pelo calor de suas mãos. Um desejo avassalador que vai além de um simples prazer fulgaz, eu quero mais!
Eu quero você!
Eu desejo mais!!
Eu desejo você!!
Desejo com cada minúscula partícula do meu ser.
Eu quero seus olhos em meus olhos...
Sua boca na minha boca...
Suas mãos em minhas mãos...
Eu quero essa perfeita união!
Seu corpo em meu corpo em um movimento sincronizado.
Devo eu ser uma viciada em você?
Não... Sou apenas uma obsessiva que não põe em ato seus pensamentos. Que ainda não pegou o telefone para dizer que eu preciso te ver...

A.C.S.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Viver e aprender

Hoje senti sua falta.
Senti falta dos momentos felizes que passei ao seu lado.
Hoje, já não carrego mágoa, tão pouco amor.
Me sinto enfim feliz por ter virado essa página e por poder ver claramente como podemos ser felizes, desde que saibamos ver que o nosso valor vem a priori, que ele não é atribuido pelo outro, mas sim por nós mesmos.
Hoje aprendi como podemos fazer alguma diferença, como podemos ser importantes para alguém, sem esperar que esse alguém faça o mesmo por nós. Aprendi que se uma pessoa não te ama da forma como que você quer, isso não significa que ela não te ame com todo coração.
Aprendi que em momentos de dificuldade, de tristeza extrema, descobrimos quem são nossos amigos. Descobrimos amigos em qualidade e não em quantidade.
Hoje pude perceber que não precimos fazer muito para sermos especial na vida de alguém, basta um simples gesto, uma simples palavra dita com sinceridade, um abraço de conforto.
A vida deve ser curtida com muita melodia, alegria e barulho... sem medo de sonhar seus sonhos, audacidade para realizá-los e coragem para viver a realidade!!


A.C.S.

domingo, 28 de novembro de 2010

A Encruzilhada - Parte Final

Como tudo nessa vida tem um começo e um fim, minha encruzilhada não poderia ser diferente.
Mais cedo ou mais tarde aquela dor latente teria que passar, e eu teria que continuar seguindo algum caminho, mesmo sem saber ao certo qual seria.
Alguma coisa precisava ser feita! Caso contrário, eu padeceria em meio a lágrimas, sofrimento e dor. Eu precisava aceitar! Aceitar que nem tudo na vida é do jeito que sonhamos, que nem tudo na vida depende só de mim, tão pouco depende só do outro. Eu precisava seguir em frente, com ou sem aquela maldita dor que me anestesiava por completo, me impedindo de pensar, me impedindo de sair do lugar.
Logo vi que minha nova jornada não seria fácil, mas eu precisava ter coragem para dar o primeiro passo, força eu arrumaria depois, pois sem coragem de nada me adiantaria ter forças. Como foi difícil dar o primeiro passo. Deus, como doeu! Mas eu precisava dizer adeus, eu precisava lutar contra os sentimentos que ardiam em mim, a fim de matá-los, para que eles não me matassem. No começo pensei que não iria aguentar, cada célula do meu corpo sentia por tê-lo perdido, os dias pareciam anos, tanto que hoje me surpreendo quando me perguntam quanto tempo se passou.
Agora não existe mais dor, as feridas se fecharam e deixaram de sangrar, estão cicatrizadas e eu por fim, curada. Do afeto de antes ao desafeto de hoje, pois nada mais que diga respeito a você me importa, nada que possa vir de você me interessa, nada que você possa fazer me afeta. Já escolhi uma direção, e nela não há nada paralelo à você!


A.C.S.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Deixa chover

É no silêncio da noite quando ninguém mais nos ouve é que eu posso te dizer:
"Boa noite meu amor, durma bem..."
Sem medo de ver que amanhã é um outro dia, e que nada disso aconteceu...
Que tudo não passou de um sonho meu!
Um belo sonho??? Um terrível sonho??? Não apenas um sonho comum...
Ressoando dentro de mim.
E quando eu abro meus olhos, eu não quero acordar, não quero aceitar...
Que tudo não passou de uma ilusão...
Ao abrir meus olhos, me dou conta que você não está mais aqui.
Deveria chorar por você partir?
Deveria me arrepender por deixá-lo ir?
Se deveria, sinto muito por não consiguir...
Porque agora quem partiu fui eu!
Seus olhos nos meus olhos...
Sua boca em minha boca...
Seu corpo em meu corpo...
Sua pele queimando sob minha pele...
Por instantes eu acreditei que fosse você.
Sempre esteve tão distante...
Uma distância invisível, quase imperceptível!
Tão frágil que nunca nos separou, pois em teus sonhos mais profundos, me encontrava ali...
As gotas de chuva já começaram a cair...
O céu cinza persiste em voar sobre mim,
E as gotas da água da chuva se confundem com água em meus olhos, lavando esse misto de velhos sentimentos...
Então... deixa chover!

A.C.S.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Eu ainda me lembro

Eu fecho meus olhos
Prendo minha respiração
E espero
Nada acontece
Estou sufocando aos poucos...



Ainda me lembro do primeiro beijo, era uma noite fria, e estava chovendo...
Você me envolveu em seus braços, olhou fundo nos meus olhos, e nossos lábios se encontraram.
Pude sentir um leve arrepio percorrer minha espinha, mas não era o frio, era o contato dos seus lábios se movimentando levemente contra os meus...
Os anos passaram...
Muita coisa mudou até então.
Exceto esse arrepio que percorre agora todo o meu corpo quando em um encontro desesperado nossos lábios se unem...
Num movimento não mais suave, mas ardente como o fogo em minha pele, esvaziando minha mente...
Permitindo que eu feche meus olhos, e me deixe levar por essa onda de velhos sentimentos.


A.C.S.

domingo, 7 de novembro de 2010

Perspectiva

Talvez não exista heróis e vilões, tão pouco príncipes e princesas, fadas e duendes, gigantes e anões...

Talvez tudo seja uma questão de perspectiva, de ponto de vista, percepção clara ou distorcida, maneira saudável ou doentia de ver o mundo...

São tantos 'talvez', tantas incertezas, tantas dúvidas, que por vezes sentimos como se tivéssemos nos perdido no caminho. Mas como dizem, não são as respostas que movimentam o mundo e sim as perguntas! De fato, realmente são elas, as perguntas, as dúvidas, as incertezas, que nos movimentam para que algo seja feito, para que algo seja mudado, para que haja algum sentido, para que nossa existência não seja uma passagem em vão.

Enquanto carregamos o peso da dúvida, buscamos sempre caminhos, maneiras, formas diferentes, de ser, de ter, de agir, de sentir, de olhar, de falar, de andar, de seguir, de acreditar, de amar (...), de executar a função do verbo - ação. Rumo a essa certeza, a essa verdade absoluta que mesmo sem existir faz com que esse processo evolução/transformação/vir-à-ser não se interrompa.Escute seu íntimo, e perceba que a vida não precisa ser árdua, densa, e se ela já é, você pode mudar isso, pois tudo é uma questão de perspectiva. O caminho pode não ser fácil, mas pode ser leve, desde que visualize as coisas a partir de um prisma de leveza.

Como é o mundo para você? Cheio de heróis ou vilões? A resposta depende como você o vê, de como você se coloca diante dele! Vitimizado ou atuante?

Somos capazes de ver, de ser, de perceber, de viver e de fazer do mundo um lugar melhor...



A.C.S.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

"Sleep well, my angel"

Uma única frase pode resgatar uma alma do fundo do abismo da solidão...
Uma palavra amiga... do tipo "pode sempre contar comigo, estou aqui", o socorro de um alguém que está longe, que mesmo sem estar de corpo presente, se faz presente!
Um "eu não perdi meu tempo com você, pelo contrário ganhei alguém para me ouvir", daquele que sempre faz gracinhas com seu nome, daquele que te ouve, daquele que ao invés de te julgar, pede pra que você não seja tão duro consigo mesmo.
Depois de tanto brigar com meu coração, pedir para ele se conter, pedindo para que tenha paciência, uma resposta foi dada...

Mais uma vez estou aqui...
Seu silêncio atravessando-me por dentro...
Mas talvez o silêncio não seja seu... seja meu...
Talvez as coisas sejam mais complicadas...
Talvez não se trate só de você, mas se trate de mim...

O silêncio se quebrou, e bastou uma única frase para fazer meu estômago virar, o chão sumir, e um grito de felicidade se formar em minha garganta... Uma única frase foi preciso para que o caos de sentimentos e sensações estranhas se instalassem em meu ser... "Que coisa você tá nessa distancia e eu aqui!"
Meus olhos ganharam brilho, na certeza não tão certa que tal silêncio talvez fosse proposital, assim como o meu. Talvez fosse tempo de elaboração, reflexão, por tudo em ordem, entender o que está se passando dentro de nós....
E a conversa continuou, normalmente, como se nada de angustiante um dia tivesse nos barrado, talvez essa angustia até foi deixada transparecer, pois nenhuma promessa foi feita, nenhuma garantia foi dada, mas sim uma única certeza: o que for possível.
Apenas um lembrete: Promessas foram feitas para serem quebradas, e até hoje ninguém me provou o contrário!
Como tudo nessa vida tem um começo, um meio, e um fim... A calma se instala em meu corpo, dando um fim a essa sensação de que vou explodir de contentamento, assim também se foi mais um dia, a tal conversa, esse texto, e a calada da noite me espera para que possa assim velar meu sono, que hoje há de ser tranquilo e não penoso.
Então ele disse:
"Tenho que ir fazer uma corrida amanhã eu te ligo, boa noite meu anjo, durma bem!"


A.C.S.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Além do que seus olhos podem ver - Parte 1

As vezes me sinto tão sozinha, como se não existisse mais nada onde eu pudesse me apoiar. Minha cabeça logo começa a latejar, uma dor tão insuportável que quase me cega. Paro por uns instantes na intenção de escrever alguma coisa que possa por pra fora tudo o que está me rasgando aqui dentro...
Tenho medo de ficar todos esses dias aqui sozinha, já me cansei disso, de falar com as paredes, de ouvir os mesmos barulhos, ver as mesmas pessoas e ouvir aquele "Oi, tudo bem?" tão evasivo e desinteressado.
Foi um sábado tão bom, que ao acabar só deixou o medo de voltar a solidão habitual. Um pedido de socorro pra alguém que está longe... Deus há de ouvir minhas preces e trazê-la ao meu encontro, pois não sei para onde ir, tão pouco tenho para onde correr, meu corpo se anestesia com tanta dor... dor que vem da alma... dor que vem de dentro!


A.C.S.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Ser em relação

O homem é um ser social, político e histórico...
É um ser social, não apenas porque está inserido em uma sociedade, mas porque se constitui através da relação com o outro. É um ser político, porque busca o bem comum, o bem coletivo, na medida que só estamos bem se o contexto da qual estamos inseridos está bem. É um ser histórico, porque é nossa história, nossas vivências e experiências que nos define, que dizem de quem somos.
Vivemos em um mundo onde a individualização nos sufoca, onde a singularidade se perdeu em uma manipulação de massa, dando lugar a uma pluralidade.
Esquecemos a alteridade, deixamos de lado o outro. Temos a falsa crença de que a diferença nada nos agrega, buscamos o similar, o igual àquilo que somos e acreditamos, excluindo assim aquilo que é distindo, diferente, aquilo que faz elo de ligação para um mundo de subjetividade e alteridade.
É preciso se movimentar, fazer um giro, sair do lugar de conformismo e alienação, desconstruir esses valores tão cristalizados e arraigados em nós, valores esses que foram forjados no individualismo e no si próprio. Valores esses que exclui a existência do outro. E se excluimos a alteridade, perdemos a subjetividade. E se negamos a existência do outro, negamos a nossa própria existência...


A.C.S.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Reviver - Porque eu quero fazer parte da geração que ama mais a Tua face do que as Tuas mãos

E se hoje eu fizesse um convite para nascer de novo?
E se fosse hoje o dia de recomeçar uma nova vida?
As vezes é necessário se dar novas oportunidades, se despir da velha carcaça e vestir uma roupa nova. É preciso se dar uma nova chance. Isso pode ser extremamente doloroso, porém é sublime quando conseguimos.
Carregamos durante muitos anos nossos conceitos, idéias e preconceitos, e quando precisamos nos libertar, é impossível que uma parte de nós não saia junto, é impossível não doer, não sangrar.
Jesus disse que deveríamos nascer de novo. Mas Ele não acrescentou que seria fácil.
Nascer de novo não significa voltar ao útero de nossa mãe, mas significa voltar a ter simplicidade e humildade, renascer do espírito, para que se tenha mais fé, mas confiança e coragem. É voltar acreditar no que o mundo nos roubou com tanto materialismo. É voltar a acreditar nos valores éticos e morais.
É recomeçar, reaprender a andar, vacilando talvez no início, mas cada vez mais firme e seguro. É cair e levantar com paciência e perseverança.
Nascer de novo quer dizer "se dar uma nova chance", dar-se um presente a si mesmo. É tentar ser feliz de verdade.
Tudo isso até parece utopia, mas é uma realidade para aqueles que acreditam. Jesus nunca mentiu. Se ele disse "necessário é vos nascer de novo", é porque não só é necessário como também é possível. É possível sermos pessoas melhores.
Sarte diz: "Se você sente tédio quando está sozinho é porque está em péssima companhia."
Porque é tão difícil ficar a sós com nós mesmos? Porque é tão perturbador ouvir nossos próprios pensamentos?
Talvez nos falte algum sentido, alguma razão saudável para viver. Talvez nos falte um pouco de amor próprio, de tolerância consigo próprio.
Estamos em um eterno processo de vir-a-ser, em uma constante transformação, como já diziam "uma metamorfose ambulante". Tudo o que somos hoje é devido as experiências do ontem, do que experenciamos no passado. Mas eu repito: é possível sermos pessoas melhores.
Deus nos deu essa dádiva que se chama presente! E precisamos aprender a construir nossas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Deus tem um plano na vida de cada um de nós, e esse plano já nos foi revelado, "Ai de mim se eu não evangelizar!"
E o mais bonito disso tudo é que somos jovens. Jovens evangelizando jovens. Muitas pedras serão atiradas contra nós, e isso me faz lembrar de uma mensagem do Pe. Fábio Mello:
"Fico pensando que evangelizar talvez seja isso: descobrir jardins em lugares que consideramos impróprios.
Os jardineiros sabem disso. Amam as flores e por isso cuidam de cada detalhe, porque sabem que não há amor fora da experiência do cuidado. A cada dia, o jardineiro perdoa as suas roseiras. Sabe identificar que a ausência de flores não significa a morte absoluta, mas o repouso do preparo. Quem não souber viver o silêncio da preparação não terá o que florir depois...
Precisamos aprender isso. Olhar para aquele que nos magoou, e descobrir que as roseiras não dão flores fora do tempo, nem tampouco fora do cultivo."
Liberte-se de tudo aquilo que te faz mal. Se temos Deus tudo é possível!
Se todo mundo resolvesse mudar, o mundo mudaria também! Vamos começar fazendo a nossa parte. Quem sabe você não é o elo de uma grande corrente que vai tornar a humanidade mais feliz?


A.C.S.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Sem alusão

Essa semana ao me tocar com a realidade que algumas pessoas se encontram, alguém me falou: Você se acostuma com isso...
Hoje escrevo sem fazer alusão, escrevo de forma simples e direta, uma forma que expresse o que penso, o que acredito e o que prego...

O grito pode ser dado em silêncio...
Há sofrimento, há miséria, há sobretudo dor na ''alma'' das pessoas. E compactuamos com isso quando dizemos e/ou pensamos "você se acostuma com isso". Se queremos ver mudanças precisamos sustentar um olhar de estranhamento, não se acostumar, não compactuar com a miséria existencial estampada diante de nós, ao se acostumarmos estaremos tornando a arte de viver, uma arte banal...
Sustentar um olhar de estranhamento, sem impor a nossa vontade ao outro, mas sim o instigar à mudança, despertar nele tal vontade e desejo de transformação. Cada um tem a vida que merece, cada um é responsável pela vida que tem, cada um é escritor da sua própria história.
Assim, podemos ser agentes de transformadores, pois temos a capacidade de buscar e promover mudanças e nos aperfeiçoar a cada dia...


A.C.S.

Falta presente: Eu ou você?

Eu estava ali...
Eu continuo ali...
Me entregando a esses devaneios...
Te tocando nos meus sonhos.
Mas ao acordar, estou tocando o vazio absoluto!
Minha respiração vai se tornando densa,
Pois algo comprime meu coração.
Algo que põe em evidência a meu não ajustamento,
Algo que presentifica a sua falta,
Abrindo novamente o buraco em meu peito!
Me fazendo sangrar vagarosamente.
Eu estava ali...
E eu continuo ali...
Procurando por alguma coisa que faça suplência a essa falta,
Falta essa marcada profundamente em mim...
E se está marcada em mim, essa falta não é de você!




Estando certa que carrego a marca da falta, busco por algo que dê suplência à ela. Interlizando a idéia que o amor não é completude, pois não faz união de dois em um, mas faz juntão de um e um, cada ser humano único e singular, caminhando juntos em caminhos separados.
Tendo essa visão, sou capaz de saber que o amor sozinho não me fará completa, tão pouco feliz... Tal completude é irreal, na medida que é na necessidade de suprir essa falta que não permaneço estacionada, que tenho desejos e procuro a satisfação desses...
Assim eu procuro por algo mais, algo a mais...


A.C.S.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sob minha pele

A forma como seus olhos olham os meus chega a doer...
Um olhar inocente, e intenso, com amor,
Um olhar que eu jamais vou ter...
Eu estava ali... eu continuo ali...
Buscando incessamentemente um lugar aonde eu pertença,
Talvez a lugar nenhum eu pertença...
Talvez eu tenha me perdido de mim...
Talvez eu tenha medo de me encontrar...
Seus olhos em meus olhos,
Um encontro doloroso,
Pois a cada olhar se evidência ainda mais a minha desorientação, o meu não ajustamento, o meu não pertencimento!

As vezes sinto como se fosse impossível me encaixar em algum lugar... como se meu lugar não fosse nesse mundo, como se eu nunca fosse me ajustar...
Como um estranho vagando, passo pelo mundo de forma despercebida como a brisa do anoitecer, onde poucos a veem passar...
Alguém sem forma definida... um ser mutável! Talvez aí esteja uma virtude, aí esteja minha força...

A.C.S.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Vida Vazia

Logo aprendemos a não esperar muito das outras pessoas, a não criar espectativas, a não idealizar... A não esperar que o outro nos retribua na mesma medida...
As relações têm se tornado cada vez mais vazias, hoje as pessoas ao perguntarem "como você está?", já esperam uma resposta automática "estou bem, e você?", e nós como animais bem domesticados respondemos prontamente, uma resposta superficial para um pergunta superficial. O fato é que hoje consciente ou inconsciente pouco nos importamos em como os outros estão se sentindo. Afinal de contas, há tantas coisas para se preocupar... trabalho, estudos, a casa, os filhos, o marido, o namorado, as contas no fim do mês...
Mas tempo é uma questão de preferência, e se não temos tempo para visitar um amigo, a escutá-lo em sua angústia, porque passamos tanto tempo conversando com eles pelo msn, orkut, twitter, skype, e tantos outros meios que no momento desconheço?
É por isso que as relações estão se tornando cada vez mais vazias, não conhecemos o outro, e o outro não nos conhece... mas o primordial, não nos conhecemos mais...
Assim nos afastamos das pessoas, pois em geral elas não estão disponíveis para nos ouvir, e nos fechamos em nosso mundo feito de cristal, tão frágil que facilmente é ruído por qualquer decepção, e assim nos tornamos sós... uma solidão intolerável, pois mesmo cercado por pessoas nos sentimos sós.
Talvez isso seja o individualismo, cada um por si e Deus por todos!
A cada dia vivido dessa minha infame existência, vou perdendo a pouca fé que me resta na humanidade, e como sou humana, direta ou inderetamente perco a fé em mim... pois a passos silenciosos caminho para meu próprio individualismo, gritando, clamando por dentro para que alguém me salve, me devolva a fé e a esperança, e que me liberte, antes que seja tragada por esse mal que tanto confronto, me negando a me ajustar nesse modo de vida egoísta e medíocre.

A.C.S.


Vida Vazia
http://www.youtube.com/watch?v=1pe1zRK_GjQ

(Eu nunca pensei que seria um soldado,
Eu tenho meu lugar dentro da batalha.
Eu percebi que a jornada acabou,
Percebi que a vida é firme)

Todos os dias eu sou como um soldado
Acordando dentro de uma batalha
E dentro da névoa eu vivo um sonho que é melhor
Do que eu sinto por dentro, cavando em mim.

Sofrendo na escuridão em meus olhos contra a luz de Roma
Eu vejo o reflexo do fantasma que eu me tornei
Esperando atrás das janelas, Eu me recuso a ficar sozinho
Eu quero ficar sozinho, e me perder nessas solidão

Vida Vazia
Eu ficarei perto do chão
Vida Vazia
As paredes continuam a cair
Eu fecho meus olhos
Eu encontrarei meu caminho
nesta vida vazia

(Bem-vindo ao ponto de partida)

Sofrendo na escuridão em meus olhos contra a noite de Roma
Eu fiquei confuso e tudo que eu ouço é a mim
Vou demitir-se em busca da paz de espírito, eu estou em mim mesma
Eu preciso estar sozinho e perdido nesta solidão...

(Lacuna Coil_Shallow Life)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Seguir em Frente

"Segue em frente
Sem medo de ser feliz
Segue em frente
E deixe que o tempo forme a cicatriz
Segue em frente
Sem olhar para trás
A vida é agora e é só você quem faz..."


Techo do poema "Seguir em frente", escrito por mim, para por fim na minha encruzilhada...
Muitas vezes precisamos criar coragem para bater em retirada e seguir em frente, sem medo de se adaptar a uma outra realidade, e descobrir outros horizontes, outras pessoas, outros sorrisos...
Seguir em frente, sem olhar para trás, deixar que coisas, pessoas, momentos, lembranças, sentimentos, sejam tragados pelo tempo e pelo esquecimento. Pois assim damos espaço para que venham outros, e com uma nova perspectiva virão melhores.
E um dia aprendemos que a vida tem valor, e que temos valor diante da vida!
As pessoas são o que permitimos que elas sejam, assim são nossas relações, se algo não vai bem, é porque demos alguma abertura para que algo virasse do avesso e colocasse nosso mundo de cabeça para baixo, nos deixando muitas vezes sem reação.
Mas é preciso que nos impliquemos com os fatos, ao invés de assumir sempre o papel passivo, o vitimizado, porque a medida que nos colocamos na cena somos capazes de mudar a nossa realidade...


A.C.S.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Sinto-me levemente inclinada a postar meus "poemas"...

A.C.S.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Seja água... Seja luz...

O guerreido da luz

"O guerreiro da luz às vezes se comporta como a água, e flui por entre os obstácúlos que encontra.
Em certos momentos resistir significa ser destruído;
Então, ele se adapta às circunstâncias.
Aceita sem reclamar, que as pedras do caminho tracem seu rumo através das montanhas.
Nisto reside a força da água:
Ela jamais pode ser quebrada por um martelo, ou ferida por uma faca.
A mais poderosa espada do mundo é incapaz de deixar uma cicatriz em sua superfície.
A água de um rio adapta-se ao caminho que é possível, sem esquecer do seu objetivo: o mar.
Frágil em sua nascente, aos poucos vai ganhando a força dos outros rios que encontra.
E, a partir de determinado momento, seu poder é total."

(Paulo Coelho)


É preciso ser como a água, saber adaptar-se a cada novo contexto que nos é imposto, pois muitas vezes não está em nosso poder decidir todas as coisas, em algumas situações precisamos aceitar a decisão tomada pelo outro, e responder de forma madura e segura as consequências que a vida trás.
Logo percebemos que o importante é o que fazemos com o que temos, com aquilo que sobrou de nós...
Ter paciência consigo mesmo é preciso, não ter medo de sentir o que está sentindo, e deixar as emoções fluírem...
A frustação é muito comum quando não temos paciência com nossos sentimentos, nos frustamos por sentir o que sentimos...

Adaptar-se as adversidades como a água se adapta as pedras do seu caminho... Com flexibilidade podemos contornar determinadas situações, sem atritos, que na maioria das vezes são desnecessários...
Ser flexível é levar a vida de forma mais leve... é ter força para fazer das pedras no caminho oportunidades para o crescimento pessoal e espiritual...
Ter metas e objetivos é fundamental para que se possa ter os olhos voltados para o futuro, e ter motivos suficientes para não desisitir de tudo no meio do caminho...
Ser como a água é ter com quem compartilhar as tristezas e as alegrias, e juntos ir ganhando forças para seguir seu caminho, sem se deixar abater com as dificuldades...
Que sejamos como o guerreiro da luz, que muitas vezes se comporta como a água... que faz das pedras ensinamentos, e que é frágil em sua essência, mas sua superfície jamais pode ser perfurada.


A.C.S.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Encruzilhada - Parte 3

Aos poucos a dor vai passando, e o oxigênio chega com mais facilidade em meu cérebro, meu coração volta a bater de modo normal. O oco em meu estomago para de queimar, a luz volta a se penetrar em minhas vistas que se focam outra vez. Agora sou capaz de pensar com clareza, e ver como foi melhor termos tomado caminhos diferentes.
Sem mais tempo perdido, esperando por aquele que se recusava a vir... Sem mais ter que pedir pelo doce beijo de boa noite, pelo abraço acolhedor, pela atenção, pelo carinho, que ultimamente não chegavam de forma voluntária.
Começo a me sentir melhor, menos sufocada... Sufocada pela ânsia de estar ao seu lado...
No começo parece impossível se sentir melhor, mas depois vemos que o que não mata fortalece, e que dias melhores virão!
Nessa certeza sigo em frente, e agora sem me privar das coisas que eu quero. Foi bom enquanto durou, e que pena que acabou... E se acabou é porque esse amor não era pra ser nosso...
Talvez essa seja a última parte dessa encruzilhada, pois meu luto já está sendo elaborado, já aceitei, agora as feridas vão se fechando graças ao tempo, que tanto culpamos por não nos ser sempre favorável... e com ele aprendemos que o fato de ter simplesmente acontecido supera o de ter acabado...
Agora é hora de ver a vida por outros horizontes... O poder reviver é sublime!


A.C.S.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Encruzilhada - Parte 2

"A dor é inevitável... o sofrimento é opcional."
"A corda sempre arrebenta do lado mais fraco", e eu nunca mais serei o lado mais fraco... Sofri por amar demais, por fazer de você minha prioridade, por mesmo sem ter tempo, sempre arrumava um pouco de tempo pra você, pois tempo é uma questão de preferência, e eu sempre preferi você...
Se hoje sofro é porque fui egoísta, pois sempre pensava em fazer o melhor, em ser melhor, em ser única para você... esquecendo muitas vezes de mim.
Sei onde errei... queria te guardar e te proteger de tudo e de todos, queria seu amor só para mim.
Mas isso era impossível para você, nunca demostrou que precisava de mim, que eu era única, e sua prioridade. Seus compromissos geralmente eram sempre mais importantes do que passar um tempo comigo. E mais uma vez eu repito "tempo é uma questão de preferência", eu precisava mendigar um pouco dele.
Hoje, mesmo cansada e encharcada pelas tantas lágrimas, vejo com mais clareza o quão cega eu fui, era incapaz de ver que essa sua falta de tempo, se traduzia em falta de amor...
Se tive crises de ciúme, se invadi sua privacidade, se me machuquei, foi tudo para tentar chamar sua atenção para mim...
Se hoje a luz dos meus olhos se apagarem, estarei minimamente feliz, pois estou certa que cheguei ao extremo, e que minha força consiste nisso, em lutar até o meu limite por aquilo que amo... dessa vez fracassei, mas não fracassei por não ter lutado, meu fracasso é em conjunto com você, que se negou a lutar comigo, desistindo de mim, desistindo de nós, sem ao menos me alertar que eu estava te perdendo...
Ah! Mas como fui cega! Que não consegui ver a falta de amor estampada ali, diante dos meus olhos...
Nos últimos dias você me desejava, mas não amava, eu não via que amor e desejo nem sempre andam juntos...
Meu maior erro, foi amar demais e querer ser correspondida da mesma maneira. Quem ama faz tudo pelo ser amado... Agora você é livre, nada mais posso fazer... Já bateu suas asas e voou para longe de mim...
Obrigado por ter me proporcionado os melhores momentos da minha vida!
Obrigado por ter me feito acreditar que fosse para sempre, e por ter me dado mais uma desilusão...
Obrigado por me deixar afundando... sangrando...
Pois graças a você estou aprendendo a ser forte. E força não se consiste apenas em lutar até as últimas consequências, mas consiste também em saber "bater em retirada" e desistir quando a batalha já está perdida.
Estou batendo em retirada, pois essa batalha eu já perdi, e continuar lutando é suicido!
Eu falhei com você, mas acredite, você também falhou comigo...


Desculpem pelo conteúdo infame dos meus últimos escritos, mas eu me encontro incapaz de sentir qualquer outra coisa... estou anestesiada pela dor...


A.C.S.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Encruzilhada - Parte 1

11 de julho de 2010... Domingo... Último dia, último beijo, último olhar, último sorriso...
"Quando a paixão acaba, sobra o amor..."
O tempo foi passando e a rotina foi se tornando presente, e o fogo da paixão se apagou. O amor ficou. Sobrevivemos ao tempo, a distância, porém nosso amor não era forte o suficiente para sobreviver as diferenças. De um lado alguém carente, de carinho, de atenção, de amor... De outro alguém extremamente independente, que aparentemente não precisa de ninguém, que sozinho se basta. Chegamos ao nosso limite, não restaram forças para continuar lutando, nos demos por vencidos e desistimos um do outro.
O que sobrou?
Dois corações machucados, e um amor cansado, calado, que será reprimido pelo tempo, e por uma futura amizade. Uma amizade que poderá ser mais forte do que o amor que sentíamos...
O tempo que compartilhamos, os sonhos que sonhamos, as lágrimas que derramamos... As lembranças felizes que tivemos, é o que servirá de consolo quando a saudade bater e as lágrimas chegarem aos olhos transbordando o vazio que ficou...
Não era nosso tempo, nos perdemos pelo caminho, nossos planos não eram os mesmos, saímos de sintonia. Por que?
Por que um amor tão bonito foi acabar assim?
Porque fomos fracos, nos acomodamos enquanto víamos o tempo passar e nossos caminhos se dividirem... Acabou não porque não era amor, acabou por não sabermos amar, por acreditarmos que ideal é aquele que suprime todas as nossas necessidades, quando na verdade ideal é aquele que nos aceita incondicionalmente e nos ajuda a nos aperfeiçoar.
Agora só restou as lembranças de uma vida que um dia foi a nossa vida... Talvez um dia dessa amizade ressurja o amor que um dia nos uniu... E que mesmo machucado, ainda existe dentro de mim. E talvez nesse dia estejamos maduros o suficiente para dar continuidade a nossa história.
Talvez... Por agora a única certeza que temos é que precisamos de tempo, pois só ele dirá qual será o real desfecho dessa história.




A.C.S.

Egoísmo

Sinto falta de você.
Mas o que sinto falta é de tudo o que é seu e me falta.
Sinto falta de minhas faltas que em você não faltam.
Sinto falta do que eu gostaria de ser e que você já é.
Estranho jeito de carecer, de parecer amor.
Hoje, neste ímpeto de honestidade que me faz dizer,
Eu descobri minhas carências inconfessáveis que insisto em manter veladas.
Acessei o baú de minhas razões inconscientes
E descobri um motivo para não conitnuar mentindo.
Hoje eu quero lhe confessar o meu não amor, mesmo que pareça ser.
Eu não tenho o direito de adentrar o seu território
Com o objetivo de lhe roubar a escritura.
Amor só vale a pena se for para ampliar o que já temos.
Você era melhor antes de mim, e só agora posso ver.
Nessa vida de fachadas tão atraentes e fascinantes;
nestes tempos de retirados e retirantes, seqüestrados e seqüestradores,
A gente corre o risco de não saber exatamente quem somos.
Mas o tempo de saber já chegou.
Não quero mais conviver com meu lado obscuro,
E, por isso, ouso direcionar meus braços
Na direção da dose de honestidade que hoje me cabe.
Hoje quero lhe confessar meu egoísmo.
Quem sabe assim eu possa ainda que por um instante amar você de verdade.
Perdoe-me se meu amor chegou tarde demais,
Se meu querer bem é inoportuno e em hora errada.
É que hoje eu quero lhe confessar meu desatino,
Meu segredo tão desconcertante:
Ao dizer que sinto falta de você
Eu sinto falta é de mim mesmo.

Padre Fábio de Melo


É comum confundirmos o amor com a projeção... No ato de se apaixonar projetamos no outro tudo aquilo que idealizamos para nós. O amor vem com a convivência. Quando projetamos no outro o que nos falta, ali vemos a chave para completude. Assim, nos iludimos na esperança que o outro nos dê aquilo que nos falta. Ledo engano! Pois o que é do outro jamais será nosso. O amor não foi feito
para suprimir, mas sim para aperfeiçoar.

Somos um eterno "vir-a-ser", em constante construção, seres inacabados, por isso somos seres faltosos também. Desse modo é preciso nos aceitar tal como realmente somos, sem idealizações, para que assim possamos aceitar e ser aceito pelo outro. Isso é amor... Aceitação incondicional! Aceitar-se e aceitar o outro para que possamos nos aperfeiçoar e nos desenvolver de maneira plena nesse processo.

Precisamos nos ver por outra ótica, vermos que não existem qualidades em uns e defeitos em outros, o que existe são características singulares de cada um, nos diferenciando uns dos outros. A partir de uma nova visão poderemos projetar menos e amar mais... Transformar o amor ideal em real...


* Projeção: Em psicologia, projeção é um mecanismo de defesa no qual os atributos pessoais de determinado indivíduo, sejam pensamentos inaceitáveis ou indesejados, sejam emoções de qualquer espécie, são atribuídos a outra(s) pessoa(s). De acordo com Tavris Wade, a projeção psicológica ocorre quando os sentimentos ameaçados ou inaceitáveis de determinada pessoa são reprimidos e, então, projetados em alguém.

Acredito que a projeção não para por aí. Projetamos o tempo todo, vemos o mundo externo a partir do nosso mundo interno, portanto projetamos (atribuímos ao outro) tanto conteúdos negativos, como conteúdos positivos.




A.C.S.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Ao tempo

Por quanto tempo teremos de ver o tempo passar e nada fazer para que nosso viver tenha um sentido ímpar?
Por quanto tempo ficaremos a mercê dos dias?
Até quando vamos ser passivos no teatro da vida?
Pergunto a mim, até quando permanecerei assim?
Saber sobre algo não é suficiente, se não sabemos o que fazer com isso...
Não se pode esperar que alguém supra suas necessidades...
Somos seres eternamente faltosos, e precisamos aprender a lidar com essa falta...

A.C.S.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

O mal estar das relações

Por muitas vezes queremos ter algo em que possamos nos sustentar... buscamos uma falsa ilusão de que não estamos sozinhos... Mas no fundo sabemos que estamos completamente sós, e nada pode reverter essa dura verdade. Somos completamente responsáveis por tudo aquilo que acontece à nós. Como diz a famosa frase da Raposa ao Pequeno Príncipe: "Tú te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!"
Ouvimos e fazemos promessas incessantemente... promessas das quais nem sempre são cumpridas. O que temos que compreender é que promessas foram feitas para serem quebradas, a medida que deixamos de cumprir o que prometemos, que prometemos apenas para contentar o outro... Se queres fazer algo, vá e faça! Ao invés de ficar dizendo que vai fazer. Faça de sua palavra honra, ao invés de ficar jogando-as ao vento.
No final de tudo veremos que sempre vamos precisar do outro, é impossível viver isolados, uma vez que somos seres em relação, que temos a necessidade do contato com o outro.
Tudo parece muito simples até então, mas aí as experiências irão nos mostrar que a confiança não é uma questão de luxo, e sim de sobrevivência, pois apesar das chances de sermos traídos precisamos confiar, porque precisamos do outro, porque sozinhos não nos bastamos. Do mesmo modo que temos um certo bem estar em estabelecermos uma relação com o outro, temos um mal estar, pois de alguma maneira somos co-responsáveis pelo outro, e por essa relação que foi estabelecida.
É preciso ter consciência que quanto maior a confiança, maior será a traição, a medida que quanto mais nos empenhamos e investimos em alguém, mais a decepção por não sermos correspondidos da mesma maneira será maior. Mas precisamos compreender que cada ser é único, e que por isso é impossível que correspondam sempre da maneira como desejamos que correspondam. Se uma pessoa não se empenha como gostaríamos, isso não significa que ela não se empenhe o máximo que pode.
É preciso repensar nossas relações, repensar sobre quem somos e o que queremos... A vida se faz única, e não cabe a ninguém vivê-la por nós, se não nós mesmos.


A.C.S.

domingo, 18 de abril de 2010

Esperança de um fim...

Muitas vezes nos entregamos, nos rendemos ao que estamos sentindo, sem imaginar que toda essa entrega pode nos causar uma enorme ferida, da qual tentamos nos livrar, mas parece nunca cicatrizar.
E assim seguimos nossa caminho, dia após dia, alimentando aquele oco em nosso íntimo, como se isso nos mantivesse vivos, nos tornando egoístas, pois tudo o que somos capazes de sentir é esse buraco queimando nas bordas.
Tentamos duramente não pensar mais no que tanto nos faz sofrer, qualquer artifício é válido na luta desesperada para fazer com que tudo desapareça... um remédio para acalmar a dor... apenas uma remédio para acalmar a dor...
Quando a dor chega em seu ápice, esquecemos totalmente de quem somos, perdemos a fé no outro e em nós mesmos.
Quando o desespero invadir seu coração lembre-se que a dor é inevitável, o sofrimento é opcional, não perca a fé, sobretudo na fé em si próprio... solidão é intolerável, a medida que nos abandonamos e desistimos de lutar pela nossa felicidade. É preciso lembrar que não existe felicidade livre de todo e qualquer sofrimento, mas somente nós podemos decidir o que fazer com eles, se os tomamos como aprendizado, ou se nos tornamos escravos e nos rendemos a eles.



"O importante não é o que fazem de nós, mas o que fazemos com o que fazem de nós..."
Sartre


A.C.S.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Um sentido de vida

"A vida pode ser comparada a uma triste e solene viagem de trem, somos deixados em um mundo maravilhoso, conhecemos pessoas, convivemos uns com os outros, caminhamos juntos por algum tempo. Mas logo depois chegamos a outra estação, nos separamos e por fim desaparecemos de uma forma tão rápida e inexplicável quanto surgimos... O que era para ser eterno se torna fugaz."

Autor desconhecido


"Somos seres-para-morte", dizia Sartre. Assim somos lançados ao mundo, cheio de incertezas, angústias... mas donos de nosso próprio destino, inteiramente conscientes e responsáveis pelos nossos atos. Porém vemos a morte como sendo de outro tempo, de outro espaço. É preciso tomar consciência disso, estar ciente que nosso tempo é indeterminado, impreciso, limitado... somos mortais, e essa idéia é o que estrutura o sentido de viver, pois só assim, sabendo que temos um certo "prazo de validade" é que damos sentido a nossa vida.
Se somos seres-para-morte, não podemos esperar para viver, é crucial darmos sentido à nossa existência, estabelecer um projeto de vida para si mesmo. Mais que um simples projeto, o sentido da vida é o porque acordamos dia após dia.
É preciso mais que ficar apenas no desejo, "se você quiser comprar uma casa, compre o cimento antes, faça algo de concreto".
Somos seres únicos, cada um com sua maneira própria de ver o mundo, ninguém pode viver por nós, só há uma chance para se fazer isso, enquanto estivermos presentes nesse mundo, nossa única certeza é a finitude. Por isso, é vital que deixemos de ser passivos, e meros espectadores desse incrível espetáculo que é a existência.
Quando fechar meus olhos pela última vez, desejo deixar esse mundo com uma vida cheia de significações, que eu possa dar meu último suspiro e deixar como exemplo aos que ficarem, de alguém que foi atrás de seus ideais e os conquistou.
Aproveite a vida, não aguarde o tempo...

CARPE DIEM


A.C.S.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Você aprende

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença de estender uma mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não siginifica apoiar-se, e que compania nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de algum tempo você aprende que o sol queima se ficar muito tempo exposto.
E aprende que não importa quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam.
E não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá o resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E que o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitem escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendermos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida, são tirandas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que a vejamos.
Aprende que as circuntâncias e o ambiente tem influência sobre nós, mas somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se pode comparar o outros, mas com o melhor que você pode ser.
Descobre que leva muito tempo para ser a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas sim onde está indo, mas se você não sabe para onde esta indo qualquer caminho serve.
Aprende, que ou você controla os seus atos, ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão frágil e delicada seja a situação, sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são aquelas pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que te chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com o tipo de experiências que você teve e o que aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você o suponha.
Aprende que nunca deve se dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando esta com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não te ame com tudo o que pode, pois existem pessoa que nos amam, mas simplesmente não sabem viver ou demostrar isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma intensidade que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços eu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor, e você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras e nos fazer perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.



William Shakespeare



quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Laços da vida

Apesar do tempo e da distância, certos vínculos que criamos não se desfazem, podem passar dias, meses e até mesmo anos... mas a afinidade ainda é a mesma! Isso me faz pensar que a vida é feita de laços, e quem determina o quão fortes eles serão, somos nós mesmos, a partir de como reagimos em determinada relação.
Nossa maneira de agir determina se fortaleceremos ou enfraqueceremos esses laços, é necessário sermos transparentes e autênticos, e darmos a atenção devida a tal relação. Se não existe mentiras, até me coloco no direito de dizer que não existirão erros, pois somos seres falhos, algumas vezes cometemos atrocidades, mas o medo de errar nos limita de ultrapassar nossos limites.
Tais laços que mencionei são construídos de duas formas: A primeira os momentos vividos são eificados na areia assim como castelos, mas ao vir a primeira tempestade desmorona e tudo perde. A segunda se edifica em rochas, como as grandes muralhas, essas são fortes, sobrevive à tempestades, ao sol forte, e ao tempo, tais laços são para vida inteira.
Quando percebemos laços construídos sobre as rochas, percebemos a necessidade de viver intensamente a vida, sem se prender em uma passado que não voltará, nem em um futuro que talvez jamais existirá, o que vale aqui e agora é o presente, é a única chance que temos de fazer acontecer.