terça-feira, 27 de julho de 2010

Encruzilhada - Parte 3

Aos poucos a dor vai passando, e o oxigênio chega com mais facilidade em meu cérebro, meu coração volta a bater de modo normal. O oco em meu estomago para de queimar, a luz volta a se penetrar em minhas vistas que se focam outra vez. Agora sou capaz de pensar com clareza, e ver como foi melhor termos tomado caminhos diferentes.
Sem mais tempo perdido, esperando por aquele que se recusava a vir... Sem mais ter que pedir pelo doce beijo de boa noite, pelo abraço acolhedor, pela atenção, pelo carinho, que ultimamente não chegavam de forma voluntária.
Começo a me sentir melhor, menos sufocada... Sufocada pela ânsia de estar ao seu lado...
No começo parece impossível se sentir melhor, mas depois vemos que o que não mata fortalece, e que dias melhores virão!
Nessa certeza sigo em frente, e agora sem me privar das coisas que eu quero. Foi bom enquanto durou, e que pena que acabou... E se acabou é porque esse amor não era pra ser nosso...
Talvez essa seja a última parte dessa encruzilhada, pois meu luto já está sendo elaborado, já aceitei, agora as feridas vão se fechando graças ao tempo, que tanto culpamos por não nos ser sempre favorável... e com ele aprendemos que o fato de ter simplesmente acontecido supera o de ter acabado...
Agora é hora de ver a vida por outros horizontes... O poder reviver é sublime!


A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário