segunda-feira, 26 de julho de 2010

Encruzilhada - Parte 2

"A dor é inevitável... o sofrimento é opcional."
"A corda sempre arrebenta do lado mais fraco", e eu nunca mais serei o lado mais fraco... Sofri por amar demais, por fazer de você minha prioridade, por mesmo sem ter tempo, sempre arrumava um pouco de tempo pra você, pois tempo é uma questão de preferência, e eu sempre preferi você...
Se hoje sofro é porque fui egoísta, pois sempre pensava em fazer o melhor, em ser melhor, em ser única para você... esquecendo muitas vezes de mim.
Sei onde errei... queria te guardar e te proteger de tudo e de todos, queria seu amor só para mim.
Mas isso era impossível para você, nunca demostrou que precisava de mim, que eu era única, e sua prioridade. Seus compromissos geralmente eram sempre mais importantes do que passar um tempo comigo. E mais uma vez eu repito "tempo é uma questão de preferência", eu precisava mendigar um pouco dele.
Hoje, mesmo cansada e encharcada pelas tantas lágrimas, vejo com mais clareza o quão cega eu fui, era incapaz de ver que essa sua falta de tempo, se traduzia em falta de amor...
Se tive crises de ciúme, se invadi sua privacidade, se me machuquei, foi tudo para tentar chamar sua atenção para mim...
Se hoje a luz dos meus olhos se apagarem, estarei minimamente feliz, pois estou certa que cheguei ao extremo, e que minha força consiste nisso, em lutar até o meu limite por aquilo que amo... dessa vez fracassei, mas não fracassei por não ter lutado, meu fracasso é em conjunto com você, que se negou a lutar comigo, desistindo de mim, desistindo de nós, sem ao menos me alertar que eu estava te perdendo...
Ah! Mas como fui cega! Que não consegui ver a falta de amor estampada ali, diante dos meus olhos...
Nos últimos dias você me desejava, mas não amava, eu não via que amor e desejo nem sempre andam juntos...
Meu maior erro, foi amar demais e querer ser correspondida da mesma maneira. Quem ama faz tudo pelo ser amado... Agora você é livre, nada mais posso fazer... Já bateu suas asas e voou para longe de mim...
Obrigado por ter me proporcionado os melhores momentos da minha vida!
Obrigado por ter me feito acreditar que fosse para sempre, e por ter me dado mais uma desilusão...
Obrigado por me deixar afundando... sangrando...
Pois graças a você estou aprendendo a ser forte. E força não se consiste apenas em lutar até as últimas consequências, mas consiste também em saber "bater em retirada" e desistir quando a batalha já está perdida.
Estou batendo em retirada, pois essa batalha eu já perdi, e continuar lutando é suicido!
Eu falhei com você, mas acredite, você também falhou comigo...


Desculpem pelo conteúdo infame dos meus últimos escritos, mas eu me encontro incapaz de sentir qualquer outra coisa... estou anestesiada pela dor...


A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário