terça-feira, 26 de julho de 2016

Escrevendo pra ninguém II

Esses dias alguém me perguntou qual era meu sonho. E nesse momento eu me dei conta que havia parado de sonhar havia algum tempo. Antigamente, eu sabia exatamente o que fazer, onde chegar... No entanto agora... me falta propósitos, me faltam perspectivas, me faltam direções, um lugar para chegar!
Muitas vezes nós sonhamos grande! Mas, sinto-me andando em círculos, como se houvesse uma grande curva, próximo do alvo, e eu não conseguisse desviar caindo sempre no retorno para a estrada principal.
Tento entender o que deixei pra trás, onde fui deixada pra trás?
É como se eu estivesse sendo intoxicada pelo gás da acomodação, e todo esforço para entrar naquela curva fosse insuportável, fosse demais até mesmo pra mim.
Me pego pensando em Cazuza "ideologia eu quero uma pra viver".

None.