terça-feira, 17 de novembro de 2015

Hã?!

- O que vocês está sentindo? Perguntou ele então.
- Solidão, o vazio, o nada absoluto. Ela respondeu.
Ele ficou confuso, sem entender, sem saber o que responder.
Não conseguimos entender completamente a complexidade das emoções, nem quem as ouve, nem quem as sente.
Contudo, penso que no dia em que entendermos e sobretudo aceitarmos que não somos suficientes, não somos completude para o outro, conseguiremos ser mais felizes com nós mesmos, e com a incompletude que sempre nos acompanha.


None

O melhor de nós

Deixa eu descobrir o que te faz sorrir 
Deixa eu me perder em você 
Se eu quiser sentir, se eu me machucar 
Quem é que vai cuidar de mim? 

Enquanto durar o nosso infinito 
Enquanto for pra ser, deixa ser 
Deixa eu parecer com quem você sonhou? 
Deixa eu morar num abraço teu? 
Porque eu quero dividir os meus dias com você 
E fazer de nós um só 

Enquanto durar o nosso infinito 
Enquanto for pra ser, deixa ser 
Deixa ser o melhor de nós 
A primeira vez, sem fim 
Deixa ser bem maior que nós 
A última vez, enfim 
Deixa ser 

Composição: Leandro Neko / Jef 

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Um passo de fé


Quantas e quantas vezes nos falta um pouco de fé, um pouco de confiança em nós e nos outros?
Quantas e quantas vezes nos vemos sem nenhuma direção, alheios a nós mesmos?
Respiro fundo... e essas paredes parecem me sufocar!
Em meu íntimo só há o silêncio e uma onda de entorpecimento, como se já não existisse mais nada em que eu pudesse me apoiar.
E de repente, olhando mais a fundo eu percebo que tudo é uma questão de "permitir-se", "autorizar-se", ser quem se é! Não se pode ter fé, sem se autorizar ser um crente; arriscar é viver... O destino não é uma questão de sorte, e sim uma questão de escolha, então que possamos escolher se arriscar mais, dar "um passo de fé" e ir...


None

Camihnos estranhos

A solidão nos leva a percorrer caminhos estranhos a nós mesmos... Nos põe á bera do abismo e sussurra em nossos ouvidos "pula!"
Quantas vezes já pulamos?
Sem calcular a queda se jogamos... Se jogamos por não haver mais o que perder, uma vez que somos tomados pela dor, já não nos resta sanidade, e a queda é tudo o que somos, é tudo que temos, é a única coisa que nos resta, pois já faz parte de nós...



None