quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Comprometer-se

Então um dia você descobre que o amor sozinho não é capaz de sustentar nenhuma relação. E de repente o mundo, o lugar onde você habita, se torna um lugar estranho e hostil, pois tudo o que você havia imaginado se fragmenta.
Daí a primeira pergunta que lhe vem a mente é: se não é o amor, que diabos é capaz de sustentar um relacionamento?
Eu acredito que um conjunto de coisas. E dentre essas tantas coisas, além do respeito, o comprometimento.
Comprometer-se com alguém é assumir um dever, uma obrigação, um pacto, uma aliança, de que ela pode contar com você, e você com ela, em quaisquer circunstâncias, respeitando os limites que cada um impõe, é buscar entender e apoiar, mesmo sem concordar, desde que isso não fira o outro.
Sustentar uma relação exige paciência, e abnegação, é se abster muitas vezes da sua satisfação, em prol da satisfação do outro, é uma troca.
E se você é capaz de ser feliz sozinho, é capaz de ser feliz com qualquer um, o outro se torna complemento da sua felicidade, e não a razão da mesma.
Mas para que tudo isso haja, é necessário comprometer-se.


None.