quarta-feira, 20 de julho de 2011

Meu medo

Eu temo por tudo o que você significa em minha vida, temo por não conseguir te afastar do meu caminho... temo por não ser forte o suficiente pra me afastar e dizer não.
Estou lutando para ser forte, lutando para não recair... mas temo em fraquejar.
Minha decisão já foi tomada, e não pretendo voltar atrás. Durante muito tempo eu adiei isso, me neguei a ver o inevitável fim que estava posto bem ali, na minha frente, todos esses anos.
Hoje não lamento pela sua falta, pois já não a sinto...
Lamento por tanto tempo perdido, por tantas lágrimas derramadas em vão.
Como eu pude ser tão cega?
Mas não cometo o mesmo erro duas vezes... Deixei viver por algum tempo, mas também deixei de amar você!
Hoje meu medo não me permite que eu me deixe envolver para além do contato físico.
Vivo sim com razão e emoção!
Mas temo por não poder conseguir levar isso adiante de maneira tão controlada.
Temo por não conseguir continuar levando tudo sob medida.
Temo em me deixar cair na tentação do meu maior desejo: o descontrole.


A.C.S.