sexta-feira, 29 de junho de 2012

Como um estranho

Passamos tanto tempo convivendo com pessoas... mas nada sabemos de suas vidas... seus sonhos... suas dores... suas alegrias... amores e desamores... e assim vamos criando cada vez mais relações superficiais, vamos nos tornando vazios... é triste ver como a humanidade está cada vez mais presa a um individualismo doentio... "cada um por si, e todos por nenhum"...
Sem mais nada a dizer... sou mais uma vez como um estranho, vagando sem uma direção... sou mais uma vez como um estranho caminhando por uma rua deserta... sou mais uma vez, apenas mais um rosto na multidão... perdido na multidão, dentre outros tantos rostos... mas isso não me importa... não machuca ou me afeta... pois eu não quero ter, eu quero ser. Ser tudo aquilo que você deseja ter...

A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário