sábado, 10 de março de 2012

O inevitável



Em questão de segundos tudo pelo que eu havia vivido perde o sentido...
E um mal estar se apodera da minha alma.
As risadas forçadas quase me matam por dentro.
Tento negar que sinto medo.
Medo de confessar meus fracassos, os sonhos não sonhados, os riscos não corridos, tudo aquilo que eu deixei passar por medo de tentar...
Durante toda uma vida eu fui aquela politicamente correta.
Hoje, me pergunto o porquê, de que me valeu tanto esforço, se no fim sou eu quem acaba sempre sozinha...
É inevitável me sentir assim...
Quando todas as coisas evidenciam meu estado.
E quando me dou conta entendo que ninguém é de ninguém, e que na verdade todos estamos sozinhos...
Mas eu posso deitar minha cabeça em meu travesseiro todas as noites sem arrependimentos...


A.C.S.

Um comentário: