sábado, 29 de dezembro de 2012

Em um mundo de caça e caçadores...


Vivemos em lugar que chamamos de mundo, localizado em um tempo e espaço, enquanto questões permeiam nossa existência. Quem somos? Para onde vamos? Perguntas que na maioria não encontramos uma resposta.
No entanto, talvez não haja um outro lugar para onde ir. Somos lançados no mundo e uma vez lançados não há mais como fugir... Quando aqui chegamos somos então presos e condenados a existir!
Um paradoxo... pois, uma vez que somos lançados nos tornamos livres para escolher e escrever nossa história, nada nos determina, e a nada somos determinados, exceto o existir e o morrer. Nascemos então para a morte? Tão só aqui chegamos e tão só daqui partiremos? Mas que liberdade seria essa então? No ponto onde tudo começa se inicia a iminência da morte... e a luta pela sobrevivência.
Do alto do céu surge um ponto negro, quase que imperceptível se põe a dirigir em direção ao solo, tão veloz quanto uma bala. Com suas garras a ave atinge sua presa de maneira brutal, sem lhe dar a chance de escapar, um golpe implacável. Uma cena da vida selvagem que se repete todos os dias de nossas vidas. Somos selvagens, vivendo à mercê de uma selva de pedras, em um mundo de caça e caçadores, somos a presa fugindo do golpe fatal do predador, e o predador é o próprio homem. O homem fugindo de si mesmo...


A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário