quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Nua

Solidão... incostância... medo... morte... desespero... experiências inerentes a vida do homem. Sentimentos ora bons, ora não tão bons assim... E o que fazer diante disso tudo? Se alguém souber, me passa cola? Porque isso não se aprende na escola!!
Rima tosca... mas enfim...
Sou eu e meus avessos, e estou aqui hoje pra falar sem rodeios... Então porque será não falei nada até agora?
Talvez porque não seja de bom tom despejar um conteúdo sem antes explicar a necessidade de se fazer isso. Ou talvez porque não esteja preparado o suficiente pra pôr pra fora aquilo do mais íntimo do meu ser. É difícil admitir que na verdade, é na verdade... você não está convicto das escolhas que você fez, tão pouco tem convicção de que está disposto a pagar o preço por cada uma delas.
É, estou passando por mais um estágio de auto conhecimento, e isso sempre me causa uma grave crise existencial... porque não decorrer do processo vou questionando meus valores, minhas verdades, e acabo perdendo o referencial de tudo. Aí, preciso começar a reconstruir tudo do zero.
Construir... reconstruir...
Significar... resignificar...
Quanto tudo isso vai acabar?
As vezes é difícil, doloroso e cansativo, viver 100 anos em 10!
Sou apenas eu e meus avessos... só eu e e meus avessos... Como já dizia Raul Seixas, não que eu goste dele, mas gosto disso que ele disse: "Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo."
Solidão... insconstância... medo... morte... desespero... experiências inerentes a vida do homem. Amor... saudade... felicidade... satisfação... estar com... experiências também inerentes a vida de um homem...
Vivemos em um mundo onde tudo é junto e misturado, e tudo é separado e solto e tudo junto de novo. Talvez esse seja meu mundo, e não necesssariamente O MUNDO. Mas o mundo é só um! E um só pra cada um!
Minhas idéias estão confusas hoje, mas eu me permito isso, estar aqui agora, escrevendo esse monte de abobrinha que também sou eu, um lado que nunca tinha aparecido aqui - onde todos os meus pensamentos e sentimentos são discursados de forma criptografada.
Talvez devesse parar de ser a incógnita... mas essa também sou eu... a envolvida por mistérios e sedução.
Se eu pudesse me mostrar sem necessitar de incógnitas, mistérios e criptografias... mas isso seria tão desisteressante... Que sentido teria passar dias, semanas, meses e anos ao lado de alguém a fim de conhecê-lo, se esse se mostra de forma nua?
As pessoas seriam previsíveis... constantes... monótonas.
O que me encanta no mundo e nas pessoas é esse ar de mistério que perpassa nos olhos, quando algo fica no campo do não dito...
Suportamos o insuportável, enxergamos o invisível, alcançamos o impossível, ouvimos inaudível, sentimos só aquilo que nos é permitido, permito por nós! Pagamos o impagável, mas é a sua vida, a minha vida, a nossa vida, não te deixe dizerem o que fazer, tão pouco dizer que você não é capaz. Eu posso TUDO! Só preciso acreditar nisso...

"Ela acredita em anjos e, porque ela acreditava, eles existiam". (Clarice Lispector)


A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário