sábado, 26 de novembro de 2011

O desconhecido

Pensei que não sobreviveria a um mundo estranho e desconhecido... pensei que não desafiaria as leis da gravidade... pensei que não me lançaria ao acaso, sem um ponto certo, sem um cais do qual pudesse me ancorar.
Pensei tantas coisas, das quais imaginei não poder enfrentar...
Me lancei no escuro, sem ponto certo, sem cais, apenas com uma referencia incerta. Mas de uma coisa eu estou certa, a experiência valeu a pena.
Valeu levantar vôo, valeu conhecer a verdadeira capital, Brasília - Distrito Federal, valeu me hospedar na casa de quem eu nunca vi na vida, andar pelas ruas cantarolando e dançando, valeu me virar em uma cidade estranha contanto apenas com a sorte, um numero de telefone e alguns trocados.
Agora chegou hora de voltar para casa, voltar para a minha realidade, foi tão fácil ser eu mesma em um lugar onde não existe o medo com o que as outras pessoas vão pensar, porque elas não me conhecem e eu não conheço elas...

Um comentário:

  1. Adorei a verdade das palavras. Sei exatamente o que está dizendo, senti isso também, vivo em cada vírgulas e pontos. Ótimo. E você ótima.

    ResponderExcluir