quinta-feira, 23 de julho de 2009

O fruto da espera e da ilusão

TERÇA-FEIRA, 8 DE ABRIL DE 2008

Esperamos tanto por algo e quando estamos perto de alcançá-lo parece não ter a mesma importância. Talvez seja o cansaço causado pela espera.
Aprendemos a não esperar muito, e a esperar tudo. A razão discorda da emoção.
O que era certo aprendemos a sempre questionar, e a visão de certo e errado se distorce.
O que era lindo se perde, e fica ao vento um castelo de ilusões. O que sobra depois da desilusão? Dor, medo, solidão... Mas não vale a pena deixar de viver a vida com a intensidade que merece por medo de sofrer. Não há nada de errado em querer proteger o coração, mas proteger não significa prender.
Muitas vezes julgamos uma pessoa pelo erro de outra, mas ninguém merece ser condenado por algo que não cometeu. Todos nós erramos, e temos direito a uma nova chance, e temos que nos dar uma nova oportunidade para sermos felizes.
A espera muitas vezes é longa, dolorosa e em vão.
Mas se as coisas não ficaram bem é porque não acabaram ainda.


A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário