terça-feira, 16 de novembro de 2010

Deixa chover

É no silêncio da noite quando ninguém mais nos ouve é que eu posso te dizer:
"Boa noite meu amor, durma bem..."
Sem medo de ver que amanhã é um outro dia, e que nada disso aconteceu...
Que tudo não passou de um sonho meu!
Um belo sonho??? Um terrível sonho??? Não apenas um sonho comum...
Ressoando dentro de mim.
E quando eu abro meus olhos, eu não quero acordar, não quero aceitar...
Que tudo não passou de uma ilusão...
Ao abrir meus olhos, me dou conta que você não está mais aqui.
Deveria chorar por você partir?
Deveria me arrepender por deixá-lo ir?
Se deveria, sinto muito por não consiguir...
Porque agora quem partiu fui eu!
Seus olhos nos meus olhos...
Sua boca em minha boca...
Seu corpo em meu corpo...
Sua pele queimando sob minha pele...
Por instantes eu acreditei que fosse você.
Sempre esteve tão distante...
Uma distância invisível, quase imperceptível!
Tão frágil que nunca nos separou, pois em teus sonhos mais profundos, me encontrava ali...
As gotas de chuva já começaram a cair...
O céu cinza persiste em voar sobre mim,
E as gotas da água da chuva se confundem com água em meus olhos, lavando esse misto de velhos sentimentos...
Então... deixa chover!

A.C.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário